Dívida pública cai 1,35% em julho

A Dívida Pública Federal (DPF) caiu 1,35% no mês de julho, de acordo com dados da Secretaria do Tesouro Nacional divulgados na tarde de hoje (27). A DPF fechou o mês passado com R$ 2,173 trilhões, representando queda de R$ 29,79 bilhões em relação a junho. A razão da queda foi o resgate de R$ 82,88 bilhões, ao mesmo tempo que foram emitidos R$ 31,34 bilhões, resultando em um resgate líquido de R$ 51,53 bilhões.

Indústria gráfica prevê queda na projeção para este ano

Em relação aos três primeiros meses do ano, a produção física do segundo trimestre da indústria gráfica brasileira caiu 1,8% no segundo trimestre. Em comparação com o mesmo período do ano passado, o resultado aponta uma queda de 9,9%. Os dados foram elaborados pela Associação Brasileira da Indústria Gráfica (Abigraf) com base na Pesquisa Industrial Mensal do IBGE, e têm alcance nacional. O segmento, atento aos riscos de novas retrações, reviu para baixo a projeção para o ano. “Prevíamos queda de 1,7% na produção anual, mas acreditamos que o recuo deve atingir 3,5%”, afirma o presidente nacional da Abigraf, Levi Ceregato.

Indústria registra queda na produção e no emprego em julho

Estudo divulgado hoje (20) pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) indicam que, em julho, o setor registrou “baixo nível de atividade”, estoques acima do planejado, e que a utilização da capacidade instalada da indústria estava, na época, em 70%. De acordo com a Sondagem Industrial, o nível de produção da indústria registrou 48,8 pontos em julho. Já o indicador de número de empregados ficou em 45 pontos.

Índice SPC Brasil aponta queda de 0,27% em julho das vendas parceladas

As consultas para vendas a prazo, que representam o ritmo do movimento no comércio no Brasil, sofreram queda pelo quinto mês consecutivo. Em comparação com o mesmo mês do ano passado, julho obteve uma retração de 0,27%. Até o momento, a antecipação das ofertas feitas pelos lojistas durante o período do pós Mundial, ainda não refletiu em melhora nas vendas, conforme mostra o indicador.

Associação prevê queda de 3% na produção e venda de motos este ano

Com a sexta posição no mercado mundial, o Brasil deve fechar 2014 com queda de 3% na fabricação e nas vendas de motocicletas. A projeção foi apresentada hoje (16) pela diretoria da Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares (Abraciclo), que, no início do ano, previa estabilidade.

Intenção de compra para o terceiro semestre tem nova queda, revela PROVAR/FIA

De acordo com pesquisa realizada pelo PROVAR (Programa de Administração do Varejo), da FIA (Fundação Instituto de Administração), revelou que o índice de consumidores que pretendem adquirir bens de consumo duráveis entre julho e agosto deste ano é de 46,8%. Tal pesquisa, que foi feita em parceria com a Felsoni Consultores Associados, mostrou que este resultado é 6,6 pontos percentuais a menos do que o indicador do segundo trimestre de 2014, período no qual houve uma aferição de 53,2%.

Arrecadação chega a R$ 87 bilhões em maio e registra primeira queda do ano

A arrecadação de impostos e contribuições federais chegou a R$ 87,897 bilhões em maio, em termos nominais. O valor representa queda de 5,95% em comparação ao mesmo período do ano passado, já corrigida pelo IPCA. É o valor mais baixo desde 2011 para meses de maio e a primeira baixa do ano. Os números foram divulgados hoje (27) em Brasília. Nos primeiros cinco meses do ano, a arrecadação ficou em R$ 487, 207 bilhões, crescimento real de 0,31%.

Venda de motos recua 10,4% na primeira quinzena de junho


Junho não foi um mês positivo quando o assunto é a comercialização de motos por dia útil. Foram emplacadas, em média, 5.458 unidades, o que indica uma queda de 10,4% se comparado com a média diária da primeira metade do mês anterior. Este número foi obtido com base nos registros de licenciamento do Renavam (Denatran).

Assinar este feed RSS