Comissão faz última reunião para debater texto da reforma da Previdência

A comissão especial criada na Câmara dos Deputados para analisar a reforma da Previdência (PEC 287/16) iniciou hoje (2) a última reunião de discussão do projeto substitutivo apresentado pelo relator, deputado Arthur Maia (PPS-BA). O parecer de Maia com as principais alterações à proposta original do governo foi apresentado aos membros da comissão no último dia 19.

 

Mais pobres e trabalhadores conseguirão se aposentar com a Reforma da Previdência?

O Governo Federal anunciou oficialmente nesta terça-feira (06) as propostas para da reforma da Previdência Social que será enviada ao Congresso Nacional. Entre as principais medidas estão: a fixação da idade mínima em 65 anos para trabalhadores e segurados da inciativa privada, rurais, políticos e servidores públicos, além de um tempo mínimo de contribuição de 25 anos e as regras de transição que serão válidas para homens com mais de 50 anos e mulheres com mais de 45 anos. Outro ponto polêmico é o aumento de idade mínima do BPC – Benefício de Prestação continuada, para idosos e deficientes, que atualmente é de 65 anos e será de 70 anos. Importante destacar que os mais pobres, na maioria, vivem em regiões em que a expectativa de vida não chega a 65 anos. Aí fica a pergunta/reflexão: os mais pobres e os trabalhadores conseguirão se aposentar?!

Temer recebe texto da reforma da Previdência

O chefe da Casa Civil da Presidência da República, ministro Eliseu Padilha, está reunido neste momento com o presidente Michel Temer para apresentar a proposta mais atualizada do governo para a reforma da Previdência. O texto, que tem sido debatido nas últimas semanas entre os técnicos da equipe econômica e da Previdência, será discutido a partir de terça-feira (11) com representantes dos trabalhadores e aposentados.

 

FecomercioSP propõe soluções para contribuir com a Reforma da Previdência

Em seu primeiro pronunciamento oficial o presidente Michel Temer ressaltou que o Governo não poderá garantir a aposentadoria dos brasileiros sem uma reforma na Previdência Social, a qual deve encerrar este ano com um déficit em torno de R$ 146 bilhões. Com isso, a Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP), que defende a modernização do sistema previdenciário, propõe soluções para garantir sua sustentabilidade no longo prazo.

Assinar este feed RSS