Mercado de cartões pré-pagos decola enquanto os bancos restringem o crédito

Mercado de cartões pré-pagos decola enquanto os bancos restringem o crédito (Foto: Divulgação) Mercado de cartões pré-pagos decola enquanto os bancos restringem o crédito

Para fugir das armadilhas do cartão de crédito, cada vez mais pessoas optam pelo cartão pré-pago. A Acesso já notou essa tendência em seus números. “Fechamos o ano passado com 100 mil cartões ativos e agora, só no primeiro trimestre deste ano, já somamos 130 mil ativos”, conta Sérgio Kulikovsky, CEO da Acesso.

É um momento delicado para ambas as partes – os bancos perdem a confiança nos possíveis clientes e esses, por sua vez, também se sentem inseguros em relação a essas instituições. O crédito, que deveria ajudar o cliente, se torna o maior vilão, uma vez que as linhas de crédito campeãs da inadimplência também são perfeitas para agravar a situação dos endividados: rotativo do cartão de crédito e cheque especial não só são os empréstimos mais caros como são fáceis de usar e ótimos para tornar a dívida uma bola de neve. Segundo pesquisa Data Popular, o cartão de crédito é o campeão, representando 75,80% das dívidas com bancos.

Para os não bancarizados, aqueles que foram expelidos do sistema financeiro pela crise ou são avessos aos bancos, o benefício do cartão pré-pago é a inclusão financeira. Para os endividados, é um meio de controlar as despesas pela educação financeira, já que só é possível gastar o saldo que foi carregado no cartão. Além disso, as pessoas passam a ter acesso também às compras online mesmo sem ter cartão de crédito e ganham mais segurança, pois não precisam andar com dinheiro no bolso.

“Acreditamos que, diferente dos bancos, este é um produto pró-cliente, por isso cada vez mais pessoas se interessam por ele. Também é muito mais simples, o cartão pode ser comprado no varejo – sem nenhum tipo de análise de crédito - a carga é feita pela internet e o cliente nunca fica negativo, ele pode ter certeza que não terá sustos ao final do mês”, completa Kulikovsky.

(Redação – Agência IN)