Pedidos de recuperação judicial de MPEs crescem 131% em um ano

De acordo com o Indicador Serasa Experian de Falências e Recuperações Judiciais, as micro e pequenas empresas lideraram os pedidos em julho/19, com crescimento de 131% na comparação com o mesmo mês do ano passado. No total, estes empreendimentos tiveram 120 requisições em 2019, enquanto em 2018 o número foi de 52. No comparativo mensal, o crescimento foi de 30,4% - 120 ante 92 em junho/19.

Número de novas empresas bate recorde no 1º semestre, revela Serasa Experian

De acordo com Indicador Serasa Experian de Nascimento de Empresas, foram registrados 1.515.715 novos empreendimentos no primeiro semestre de 2019, o maior número apresentado desde o início da série histórica, iniciada em 2010. Quando comparado com o mesmo período de 2018, que teve 1.262.935 novos negócios, o valor atual chega a ser 20% maior.

Pedidos de falência recuam 11,7% no acumulado em 12 meses

Os pedidos de falência caíram 11,7% no acumulado em 12 meses (agosto de 2018 até julho de 2019 em relação aos 12 meses anteriores), segundo dados com abrangência nacional da Boa Vista. Mantida a base de comparação, as Falências Decretadas, Pedidos de Recuperação Judicial e Recuperação Judicial Deferidas diminuíram 12,3%, 16,3% e 13,1%, respectivamente.

Brasil o 3º país mais complexo para se investir e abrir empresas

Tom Jobim é creditado como o primeiro a dizer, mas o Global Business Complexity Index recém-publicado pela TMF prova, mais uma vez, que a famosa frase do compositor brasileiro ainda se aplica perfeitamente hoje: o Brasil não é para iniciantes. Embora isso não surpreenda a quem registrou impostos corporativos nos últimos meses, o Global Business Complexity Index contradiz o relatório mais recente do Banco Mundial (Doing Business), que na verdade, viu o Brasil melhorar em 10 posições. Então, os negócios no Brasil estão ficando menos complicados ou não? Uma questão complexa e particularmente interessante.

Confiança Empresarial recua em maio

O Índice de Confiança Empresarial (ICE) da Fundação Getulio Vargas (FGV IBRE) recuou 2,0 pontos em maio, para 91,8 pontos, o menor nível desde outubro de 2018. Na métrica de média móveis trimestrais, o índice recuou pela terceira vez consecutiva, em 1,6 ponto.

Assinar este feed RSS