10% das residências brasileiras possuem seguro

  •  
10% das residências brasileiras possuem seguro Divulgação 10% das residências brasileiras possuem seguro

Você já pensou na importância de proteger um patrimônio tão valioso quanto a sua residência? Pois saiba que um seguro residencial custa, em média, 0,2% do valor do imóvel. Pouco, não acha? Pois é. Apesar desse custo tão baixo, atualmente, apenas 10% das residências brasileiras possuem um seguro.

De acordo com Marcelo Goldman, diretor da Tokio Marine Seguradora, além de muito barato, o seguro residencial é a melhor maneira das pessoas evitarem os prejuízos causados por roubos e outros eventos.

“Em geral, as pessoas levam 10, 20, até 30 anos para adquirirem sua residência própria. E podem perder o imóvel em poucos minutos, devido a algum desastre. Nada mais correto, então, do que procurar proteger esse patrimônio tão valioso com um seguro que possa evitar ou minimizar prejuízos em caso de algum acontecimento indesejado, como roubo e incêndio”, afirma Goldman.

O diretor lembra que, no caso do seguro residencial, a relação custo-benefício é realmente muito vantajosa para o consumidor – e um fator que, quando conhecido, pode estimular a contratação. Ele destaca que a maioria da população desconhece essa informação, mas, em média, o custo de um seguro residencial gira em torno de 0,2% do valor do imóvel. Isso quer dizer que, para um imóvel de R$ 200 mil, por exemplo, o consumidor vai pagar apenas R$ 400 (R$ 33 por mês, cerca de um real por dia). Realmente, é um valor muito baixo para proteger um bem tão precioso.

Outro ponto importante é a assistência ou serviços diferenciados oferecidos aos clientes que contratam o seguro residencial da Tokio Marine. “Oferecemos três planos com serviços diferenciados: Assistência 24 horas, Assistência Especial e Assistência VIP”, De acordo com o pacote contratado, o consumidor poderá ter à sua disposição serviços como limpeza de caixa d’água, descarte de móveis e equipamentos de forma sustentável, consertos de aparelhos eletrodomésticos, computadores, entre outros.

São serviços que, no mercado, custam caro para o cliente, mas que a seguradora oferece gratuitamente.

(Redação – Agência IN)