Ata do FOMC e agenda devem influenciar pregão global

  •  
Ata do FOMC e agenda devem influenciar pregão global (Foto:Divulgação) Ata do FOMC e agenda devem influenciar pregão global

As principais bolsas de valores globais apresentam sinais opostos nesta manhã de quinta-feira, 18, com investidores avaliando a ata do FOMC e dados da agenda mundial. Diante deste cenário, os índices europeus e o indicador futuro das bolsas norte-americanas operam com direções distintas. 

Na Ásia, com exceção das ações em Hong Kong, as bolsas encerraram o pregão em queda, com destaque para os papeis em Tóquio, que foram puxados para baixo pela valorização do iene na véspera. 

Enquanto isso, na Europa, as bolsas apresentam ganhos nesta manhã, refletindo a elevação das vendas do varejo do Reino Unido em julho, a despeito da decisão de saída da União Europeia.

O comércio varejista do Reino Unido apresentou desempenho bastante favorável em julho, considerando que a coleta de informações se deu entre os dias 3 e 30 de julho. As vendas do varejo, excluindo veículos e combustíveis, mostraram alta de 1,5% na passagem de junho para julho, surpreendendo as expectativas de crescimento de 0,3%, após retração de 0,9% registrada no mês anterior.

Em Wall Street, o indicador futuro das bolsas norte-americanas aponta para uma abertura em campo negativo. Mas, investidores aguardam a divulgação dos indicadores antecedentes de julho.

Aqui no Brasil, o Ibovespa deverá acompanhar o desempenho dos pares externos, em dia de fraca agenda de indicadores econômicos. 

Ontem, o secretário de Política Econômica do Ministério da Fazenda, Carlos Hamilton Araújo, anunciou que os sinais de recuperação da economia levaram o governo a aumentar a previsão de crescimento para 2017. A estimativa de expansão do Produto Interno Bruto (PIB, soma das riquezas produzidas no país) passou de 1,2% para 1,6% para o próximo ano.

Para finalizar, no mercado de câmbio, o dólar deverá apresentar perdas em relação às demais moedas globais.

(MR – Agência IN)