Bitcoin foi melhor investimento do Brasil em 2016

  •  
Moeda apresentou valorização de 92% no site Mercado Bitcoin desde o começo do ano Foto: Divulgação Moeda apresentou valorização de 92% no site Mercado Bitcoin desde o começo do ano

O ano de 2015 foi complicado para quem teve que decidir onde aplicar seu dinheiro, as incertezas na economia e no cenário político brasileiro deixaram o mercado financeiro muito turbulento. Desde o começo do ano até o início desse mês, o índice Bovespa, que calcula o desempenho das ações das principais empresas de capital aberto do Brasil, sofreu uma queda de aproximadamente 7%.

As ações ordinárias da Vale, castigadas pelo desastre ambiental com sua controlada Samarco e pela queda de preço das commodities, caíram cerca de 42% e os papéis da Petrobras cerca de 2%, depois de muita instabilidade. Na linha dos investimentos que deram rendimento positivo, a poupança rendeu 7,34% no mesmo período e o título público mais rentável foi o Tesouro IGPM+ com juros semestrais e vencimento em 2017, que rendeu cerca de 15%. Houve ainda a disparada do dólar, que apresentou com alta de 44% entre janeiro e dezembro.

Houve ainda a disparada do dólar, que apresentou alta de 44% entre janeiro e dezembro. Contudo, nem a alta do dólar foi superior a alta da moeda digital Bitcoin. No primeiro dia de janeiro, bitcoins eram negociados no site Mercado Bitcoin pelo valor médio de R$ 892,00. Em 11 de dezembro cada moeda foi transacionada pelo valor médio de R$ 1717,00, uma alta de 92% em seu valor. Diante desse cenário, o Bitcoin foi o investimento com melhor rentabilidade no Brasil no ano de 2015.

Em 2015 os investimentos por parte dos fundos de capital de risco em empresas que trabalham com a moeda superaram US$ 1 bilhão pela primeira vez. Houve também a criação novos produtos, como o Bitcoin Investment Trust, um fundo negociado nos EUA por corretoras com o preço atrelado ao Bitcoin. Por fim, gigantes financeiros como Nasdaq, Visa e Microsoft começaram a fazer apostas na tecnologia por meio de investimentos e criação de novos produtos.

Em 2016 espera-se que a tecnologia ganhe mais legitimidade e comece a alcançar os consumidores finais. A taxa de criação de novas moedas cairá pela metade, o que deve elevar ainda mais o seu preço. O site Mercado Bitcoin tem como meta chegar em 250 mil clientes ao final do próximo ano, o que representaria a metade do número de clientes Bovespa. A startup acredita também que no próximo ano os pagamentos com a moeda vão se tornar uma realidade, principalmente para profissionais que prestam serviços digitais e sites de e-commerce que encontram na moeda um jeito rápido de receber por seus serviços e produtos, mesmo que seu cliente esteja do outro lado do mundo.

(Redação - Agência IN)