China e pesquisa eleitoral derrubam Ibovespa

  •  
China e pesquisa eleitoral derrubam Ibovespa (Foto: Divulgação) China e pesquisa eleitoral derrubam Ibovespa

Nesta segunda-feira, 22, o principal índice acionário da BM&FBovespa, o Ibovespa, apresenta perdas, influenciado por China e pesquisa eleitoral. Há pouco, o índice, desvalorizava 2,17%, aos 56.533 pontos. O giro financeiro da bolsa marcava R$ 2.677 bilhões.

De acordo com relatório diário da Lerosa Investimentos, a semana inicia com as bolsas em queda nas principais praças mundiais. O fortalecimento do dólar e o menor crescimento chinês pressionam as commodities para baixo e insere mau humor desde Ásia até Europa. O ministro de finanças da China declarou que admite as pressões negativas para a economia chinesa, e que não pretende inserir nenhum estímulo mais intenso. Essa declaração esvazia a aposta de recuperação chinesa mais vigorosa no curto prazo. Teremos divulgação de indicador de atividade nessa madrugada, o que reforça a cautela dos investidores ainda mais. Internamente, a partir de amanhã, as especulações eleitorais ganham novos contornos. Será divulgado o Ibope e as flutuações das ações estatais sofrerão mais intensamente com o quadro sucessório. Abertura negativa em função das commodities, com mercado ainda aguardando novos números eleitorais.

Entre as oscilações positivas em destaque na sessão estão os papéis da TIM (ON) que avançavam 2,17% e a Fibria (ON) que apresentavam alta de 0,91%. Em contrapartida, entre os destaques negativos, estão os papéis da Brasil (ON), que recuavam 5,46% e a Eletrobras (ON) que apresentavam revés de 5,02%.

E abrindo a agenda de indicadores internos, o Banco Central divulgou o boletim Focus, que na medição, a previsão de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) nacional para 2014 passou de 0,33% para 0,30%. Já para 2015, o prognóstico do PIB ficou em 1,01%. Por outro lado, a previsão para a taxa de câmbio em 2014 subiu para R$ 2,34. Para 2015 a taxa ficou em R$ 2,45.

No exterior, o grupo químico e farmacêutico alemão Merck KGaA anunciou a compra por € 13,1 bilhões (US$ 17 bilhões) da empresa americana Sigma-Aldrich, fabricante de componentes químicos e de técnicas de laboratório. Com a aquisição, a Merck afirma que deseja criar "uma empresa líder da indústria das ciências da vida". A Merck KGaA chegou a um acordo com a Sigma-Aldrich para o pagamento de 140 dólares por ação, segundo um comunicado.

(MR – Agência IN)