Conheça 7 informações-chave sobre renda fixa

  •  
Conheça 7 informações-chave sobre renda fixa Foto: Divulgação Conheça 7 informações-chave sobre renda fixa

As aplicações em Renda Fixa são cada vez mais procuradas pelo investidor. Segundo a Cetip - a integradora do mercado financeiro e maior câmara de ativos privados de Renda Fixa da América Latina -, milhões de pessoas físicas e jurídicas possuem esse tipo de aplicação registrada.Mas o que é Renda Fixa? Quais são as informações importantes relacionadas a este tipo de investimento?

Renda Fixa é um tipo de investimento em que a forma de remuneração é dimensionada no momento em que você faz a aplicação, diferente do que ocorre com a renda variável. Quem aplica em Renda Fixa, de certa forma, está emprestando dinheiro para alguma instituição em troca de uma remuneração, ou seja, da rentabilidade que receberá. Pode comprar títulos privados, emitidos por bancos e empresas, ou públicos, emitidos pelo governo. O CDB, a LCI e a LCA são alguns exemplos de Renda Fixa privada.

E você sabe algumas informações importantes que variam de acordo com a aplicação em Renda Fixa escolhida? A Cetip selecionou algumas delas:

Taxa de remuneração

Cada título oferece uma taxa de retorno diferente. O investidor deve pesquisar no mercado a melhor condição para o seu perfil e também estar ciente da possibilidade de negociar as condições de rentabilidade do título escolhido, de acordo com o relacionamento previamente cultivado com aquela instituição financeira. Além disso, os investimentos em renda fixa podem ser pré ou pós-fixados. Nos pré-fixados, o investidor sabe qual rendimento vai obter de acordo com a taxa fixa acordada com a instituição financeira. Os pós-fixados têm rendimento vinculado ao desempenho futuro de algum indicador, como a Taxa DI ou a inflação, por exemplo. Por isso, é importante ficar atento à evolução do indicador escolhido.

Tributação

O rendimento final da aplicação pode sofrer o desconto de imposto de renda. No caso do CDB, por exemplo, há incidência de IR em tabela regressiva, ou seja, a cobrança do imposto diminui com o passar do tempo, variando de 22,5% a 15%. Já as letras de crédito são isentas de IR para o investidor pessoa física. A isenção de IR não acarreta obrigatoriamente em rentabilidade final superior, ou seja, ao comparar os investimentos, é importante considerar o rendimento líquido de imposto.

Liquidez

Uma aplicação sem liquidez é aquela na qual o investidor só poderá resgatar o valor investido no prazo de vencimento determinado pelo emissor. Já a aplicação com liquidez, permite que o investidor resgate seu dinheiro antes deste prazo final, um aspecto importante para aqueles que desejam ter os recursos disponíveis para arcar com despesas inesperadas ou mesmo aplicar os valores em um novo investimento.

Prazo

No caso das aplicações sem liquidez, o investidor deve avaliar se poderá manter o dinheiro inacessível até o vencimento da aplicação, que pode variar de alguns meses até anos. De modo geral, quanto mais tempo o dinheiro permanecer investido, maior será a remuneração.

Risco de crédito do emissor

É importante conhecer bem a instituição financeira que está oferecendo aquela aplicação, de modo a evitar futuros contratempos com eventual falência da instituição ou fraudes. O Fundo Garantidor de Crédito garante o pagamento de determinado valor investido, até um determinado montante (atualmente de R$ 250 mil) em uma mesma instituição financeira em nome de um mesmo investidor em caso de falência da mesma. O investidor deve checar se a aplicação escolhida conta com a cobertura do FGC ou avaliar se ele está disposto a correr o risco.

Registro

É essencial saber se a aplicação será registrada e identificada em uma câmara, como a Cetip. Isso certifica que o investimento está devidamente registrado em nome do investidor. A Cetip é a maior depositária de títulos privados de renda fixa da América Latina e maior câmara de ativos privados do País e realiza o registro de mais de 50 tipos diferentes de investimentos. Para facilitar esta verificação, a empresa criou o Cetip | Certifica. A instituição financeira que aderir ao selo de segurança deve enviar todos os meses para cada cliente um extrato criptografado da Cetip com todas as informações sobre o investimento vigente. A lista completa das mais de 40 instituições que já aderiram ao Cetip | Certifica está disponível no site da Cetip.

Tíquete mínimo

Cada instituição financeira estabelece um valor mínimo exigido para investir em cada aplicação. Cabe ao investidor avaliar se o montante definido está dentro de suas possibilidades.

(Redação - Agência IN)