Dados da indústria global devem chamar a atenção

  •  
Dados da indústria global devem chamar a atenção (Foto: Divulgação) Dados da indústria global devem chamar a atenção

As principais bolsas de valores globais deverão apresentar ganhos nesta segunda-feira, 03, com investidores avaliando dados da agenda. Diante deste cenário, os índices europeus e norte-americanos operam de lado.

Ásia 

As bolsas asiáticas fecharam o pregão com ganhos, com exceção de Shanghai, cujo índice recuou 0,4%. A despeito dessa queda na bolsa chinesa, o índice PMI Caixin, da indústria de transformação, subiu de 49,6 para 50,4 pontos entre maio e junho, superando as expectativas (49,5). 

Europa

Na Europa, as bolsas avançam, após os resultados positivos dos índices PMI da indústria divulgados hoje.

O índice gerente de compras (PMI, na sigla em inglês) do setor industrial dos 17 países que compõem a zona do euro ficou em 57,4 pontos em junho deste ano, segundo informações divulgadas hoje pelo instituto Markit Economics. O resultado veio acima do esperado pelo mercado (57,3). Vale lembrar que toda marcação acima dos 50 pontos indica expansão do setor.

Por outro lado, o índice de desemprego na zona do euro ficou em 9,3% no mês de maio, contra 9,3% no mês anterior, anunciou a Eurostat.

EUA

Em Wall Street, bolsas devem recuar nesta segunda-feira.

Brasil

Aqui no Brasil, os mercados devem reagir à evolução das projeções contidas no Relatório Focus, divulgado há pouco pelo Banco Central.

Agenda

O Banco Central (BC), divulgou o boletim Focus, que apontou divergências na projeção dos analistas do mercado financeiro para o desempenho da economia brasileira em 2017 e 2018. A previsão de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) nacional para 2017 permaneceu em 0,39%. Já para 2018, o prognóstico do PIB ficou em 2,00%. Já previsão para a taxa de câmbio em 2017 ficou em R$ 3,35. Para 2018 a taxa ficou em R$ 3,40.

Contudo, o IPC-S de 30 de junho de 2017 apresentou variação de -0,32%1, 0,20 ponto percentual (p.p.) abaixo da taxa registrada na última divulgação, segundo dados da Fundação Getulio Vargas (FGV). Com este resultado, o indicador acumula alta de 1,81 %, no ano e, 3,44%, nos últimos 12 meses. A maior contribuição partiu do grupo Habitação (-0,18% para -0,74%). Nesta classe de despesa, cabe mencionar o comportamento do item tarifa de eletricidade residencial, cuja taxa passou de -2,16% para -6,56%.

Câmbio

Por fim, no mercado de câmbio, o dólar deverá avançar em relação às demais moedas globais.

(MR – Agência IN)