Ibovespa recua com China e pesquisa eleitoral

  •  
Ibovespa recua com China e pesquisa eleitoral    (Foto: Divulgação) Ibovespa recua com China e pesquisa eleitoral

Nesta terça-feira, 23, o principal índice acionário da BM&FBovespa, o Ibovespa, apresenta perdas, influenciado por China e pesquisa eleitoral. Há pouco, o índice, desvalorizava 0,56%, aos 56.500 pontos. O giro financeiro da bolsa marcava R$ 2.399 bilhões.

De acordo com relatório diário da Lerosa Investimentos, o mercado local abre o dia com indicadores de atividade em destaque. Bons números na China podem ajudar mineradoras e siderúrgicas, enquanto os indicadores ruins na zona do euro limitam a recuperação. Porém, o grande foco ainda fica centrado na corrida eleitoral. A pesquisa Vox Populi, esperada para ontem à noite, será divulgada hoje, assim como o Ibope (à noite). Os mercados aguardam novo recuo de Marina, com a vantagem da atual presidente aumentando. A grade questão que fica no ar é se a tendência de queda de Marina é suficiente para tirá-la do segundo turno e se a força do PSDB será suficiente para fazer frente ao governo em eventual segundo turno. Enquanto essa questão pairar no ar, investidores precificam o quadro atual (reeleição) e trazem o Ibovespa aos níveis pré-acidente Eduardo Campos. Influência externa na abertura é negativa, com Europa caindo com mais força que os futuros americanos.

Entre as oscilações positivas em destaque na sessão estão os papéis da Cemig (PN) que avançavam 1,82% e a Light (ON) que apresentavam alta de 1,72%. Em contrapartida, entre os destaques negativos, estão os papéis da PDG (ON), que recuavam 2,44% e a Rossi (ON) que apresentavam revés de 2,38%.

Do lado corporativo, a Oi anunciou que não participará do leilão da frequência de 700MHz que será realizado no dia 30 de setembro de 2014. A Oi tem disponível, para atender à crescente demanda por dados móveis, um diversificado portfólio de espectro, que permite prover serviços de voz e dados de forma competitiva, além de ampla rede de Wifi e uma rede fixa, o que garante grande capilaridade às suas operações no país.

A CNT (Confederação Nacional do Transporte) divulgou a 122ª rodada da Pesquisa CNT/MDA. No primeiro turno, a candidata do PT abriu distância maior da candidata do PSB. Na pesquisa espontânea, Dilma Rousseff aparece em primeiro, com 31,4% das intenções de voto, contra 23% de Marina Silva, segunda colocada. Na rodada anterior, Dilma possuía 30,9% (com variação de 0,5 ponto, dentro da margem de erro) e Marina 25,8% (com variação de 2,8 pontos). No cenário simulado de segundo turno entre PT e PSB, as intenções de voto em Marina Silva caíram 4,5 pontos, aproximando ainda mais as duas candidatas e mantendo o empate técnico. Dilma tem 42% das intenções enquanto Marina Silva conta com a preferência de 41% dos eleitores.

E abrindo a agenda de indicadores internos, a Fundação Getulio Vargas (FGV) anunciou que o Índice de Preços ao Consumidor - Semanal (IPC-S) de 22 de setembro de 2014 apresentou variação de 0,43%1, 0,04 ponto percentual (p.p.) acima da taxa registrada na última divulgação. Nesta apuração, quatro das oito classes de despesa componentes do índice apresentaram acréscimo em suas taxas de variação. A principal contribuição para o avanço da taxa do índice partiu do grupo Habitação (0,46% para 0,51%).

No exterior, o resultado preliminar do índice PMI-Markit chinês mostrou leve melhora em setembro ante agosto, passando de 50,2 para 50,5 pontos. Houve aumento dos pedidos (internos e externos) e da produção, com queda nos empregos.

Para finalizar, o índice gerente de compras (PMI, na sigla em inglês) composto da zona do euro, com base em pesquisas junto a milhares de empresas na região e considerado como indicador de crescimento, deve recuar de 52,5 para 52,3 pontos em setembro, segundo dados econômicos divulgados pelo instituto Markit Economics.

(MR – Agência IN)