Ibovespa recua com pesquisa eleitoral

  •  
Ibovespa recua com pesquisa eleitoral  (Foto: Divulgação) Ibovespa recua com pesquisa eleitoral

Nesta quarta-feira, 24, o principal índice acionário da BM&FBovespa, o Ibovespa, apresenta perdas, influenciado por pesquisa eleitoral. Há pouco, o índice, desvalorizava 0,38%, aos 56.325 pontos. O giro financeiro da bolsa marcava R$ 1.950 bilhão.

De acordo com relatório diário da Lerosa Investimentos, pesquisas eleitorais se desencontrando. E a divergência aponta para maior favoritismo do governo. Esse fato deve trazer mais desânimo aos negócios no dia de hoje. Nem mesmo a abertura positiva em NY ou a melhora da bolsa chinesa (+1,47%) devem compensar as preocupações de que o governo reeleito continue mantendo as interferências na economia, causando preocupações com o crescimento futuro. Pela primeira vez, o instituto Vox Populi traz a possibilidade de vitória de Dilma em segundo turno, fora da margem de erro, desde que Marina assumiu a candidatura. Também é colocada em dúvida a possibilidade de segundo turno. Essa chance ainda é remota, mas existente. A pesquisa Datafolha da sexta-feira será importante para termos a confirmação ou não da mudança do quadro. Estatais devem continuar mostrando desempenho decepcionante.

Entre as oscilações positivas em destaque na sessão estão os papéis da Souza Cruz (ON) que avançavam 2,05% e a Vale (PNA) que apresentavam alta de 1,54%. Em contrapartida, entre os destaques negativos, estão os papéis da Cemig (PN), que recuavam 3,86% e a MRV (ON) que apresentavam revés de 3,71%.

A mais recente pesquisa Ibope mostrou ligeiro avanço da candidata Dilma Rousseff (PT) na disputa pela Presidência da República. De acordo com a pesquisa, Dilma Rousseff tem 38% das intenções de voto. Na pesquisa passada, no dia 16 de setembro, eram 36%. A candidata do PSB, Marina Silva, passou de 30% para 29%. Na simulação de um segundo turno, as duas presidenciáveis permanecem em empate técnico.

Já a pesquisa Vox Populi mostra a candidata Dilma Rousseff (PT) na liderança com 40% das intenções de voto para a Presidência da República. A candidata do PSB, Marina Silva, aparece com 22% das intenções, e Aécio Neves (PSDB) com 17%. Votos brancos e nulos somam 6% e os eleitores indecisos, 12%. Na última pesquisa Vox Populi, Dilma tinha 36% das intenções, Marina tinha 27% e Aécio, 15%. Votos nulos e brancos eram 8% e o percentual de indecisos estava em 12%.

E abrindo a agenda de indicadores internos, a Fundação Getulio Vargas (FGV) anunciou que o Índice de Confiança do Consumidor (ICC) avançou 0,7% entre agosto e setembro de 2014, ao passar de 102,3 para 103,0 pontos. O resultado sucede uma alta de 3,0% em julho e uma queda de 4,3% em agosto. Como resultado desta sequência, apesar da variação positiva na margem, o indicador de médias móveis trimestrais do ICC mantém-se em ligeira tendência de queda.

Por outro lado, as informações da Pesquisa de Emprego e Desemprego - PED, realizada pela Fundação Seade e pelo Dieese, mostram que a taxa de desemprego total na Região Metropolitana de São Paulo (RMSP) manteve-se relativamente estável, ao passar de 11,4%, em julho, para os atuais 11,3%. Segundo suas componentes, a taxa de desemprego aberto passou de 9,4% para 9,2% e a de desemprego oculto de 2,0% para 2,1%.

No exterior, o índice de clima de negócios na Alemanha, apurado pelo Instituto Ifo, recuou novamente em setembro, para 104,7 pontos. Esse é o menor nível desde abril de 2013. Tal desempenho resultou tanto da queda da avaliação corrente dos negócios como das expectativas para seis meses à frente.

(MR – Agência IN)