Ibovespa sobe com cenário político

  •  
Ibovespa sobe com cenário político (Foto:Divulgação) Ibovespa sobe com cenário político

Nesta segunda-feira, 29, o principal índice acionário da BM&FBovespa, o Ibovespa, apresenta ganhos com investidores de olho no cenário político. Há pouco, o índice, operava com alta de 1,17%, aos 58.390 pontos. O giro financeiro da bolsa marcava R$ 2.100 bilhões.

De acordo com relatório diário da Lerosa Investimentos, o clima de expectativa em torno de Yellen na sexta não se concretizou com a presidente, e sim com o vice-presidente do Fed Stanley Fischer que indicou a possibilidade de aperto monetário antes do esperado, já na reunião de setembro. Com isso, mercados globais refletem a percepção de um FOMC mais hawkish e o impacto é dólar forte e mercados acionários fracos, com redução do apetite ao risco. A agenda nos EUA é importante, com dados relevantes aos dirigentes do Fed e tende a movimentar os mercados ao longo da semana. No cenário doméstico, o foco político volta a ser destaque com o mundo pós-impeachment. A quase concretização do processo junto ao Senado tende a ser acompanhado, porém o foco deve voltar a ser dirigido aos próximos dias do novo governo, que sai da interinidade para efetivo e deve ser cobrado com relação ao almejado ajuste fiscal e reformas necessárias.

Entre as oscilações positivas em destaque na sessão estão os papéis da CESP (PNB) que avançavam 4,81% e a WEG (ON) que apresentavam alta de 4,30%. Em contrapartida, entre os destaques negativos, estão os papéis da Usiminas (PNA), que recuavam 1,12% e a Rumo (ON) que apresentavam revés de 1,11%.

E abrindo a agenda de indicadores internos, o Índice de Confiança da Indústria (ICI) da Fundação Getulio Vargas recuou 1,0 ponto em agosto, para 86,1 pontos, interrompendo a sequência de cinco altas consecutivas que levaram a um ganho acumulado de 12,4 pontos entre março e julho.

Por outro lado, o Índice de Confiança de Serviços (ICS) subiu 2,8 pontos entre julho e agosto, alcançando 78,8 pontos. Após a sexta alta consecutiva, o índice atinge o maior nível desde fevereiro do ano passado (81,3 pontos).

Além disso, o Banco Central divulgou o Boletim Focus, que na medição, a previsão de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) nacional para 2016 ficou em -3,16%. Já para 2017, o prognóstico do PIB ficou em 1,23%. Já a previsão para a taxa de câmbio em 2016 ficou em R$ 3,29. Para 2017 a taxa ficou em R$ 3,45.

Do lado político, começou hoje o quarto dia de julgamento da presidente afastada Dilma Rousseff no processo de impeachment que enfrenta no Senado, acusada de crime de responsabilidade. Acompanhada do cantor Chico Buarque e do ex-presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, a petista foi conduzida ao plenário pelo presidente do Senado, Renan Calheiros.

No exterior, o discurso da presidente do Fed (Federal Reserve, banco central dos EUA), Janet Yellen, proferido na última sexta-feira no simpósio anual em Jackson Hole, não alterou a expectativa de elevação da taxa de juros norte-americana em dezembro deste ano. Yellen destacou que as condições na economia seguiram melhorando nos últimos meses, e que, caso mantenham essa tendência, alguma elevação adicional dos juros acontecerá neste ano.

(MR – Agência IN)