Investidores de olho na agenda e commodities

  •  
Investidores de olho na agenda e commodities (Foto: Divulgação) Investidores de olho na agenda e commodities

Dados da agenda e preços das commodities devem contribuir para movimento misto das principais bolsas de valores globais nesta sexta-feira, 23. Com isso, as bolsas europeias e norte-americanas operam de lado nesta manhã.

Ásia

Na Ásia, as bolsas fecharam o pregão com leve alta, com exceção de Hong Kong que permaneceu praticamente estável.

Europa

Já na Europa, as bolsas caem nesta manhã.

Por lá, o índice gerente de compras (PMI, na sigla em inglês) composto, medida ampla do setor privado que combina dados manufatureiros e de serviços, da zona do euro deve registrar 55,7 pontos em junho, ante os 56,8 pontos do mês anterior, segundo dados preliminares divulgados pelo instituto Markit Economics.

Já o Índice Gerente de Compras (PMI, na sigla em inglês) da indústria alemã deve recuar em junho deste ano, com 59,3 pontos, segundo informações divulgadas hoje pelo instituto Markit Economics. Vale lembrar que qualquer resultado acima dos 50 pontos indica expansão do setor.

Estados Unidos

Em Wall Street, bolsas devem iniciar o pregão de lado. 

Brasil

Aqui no Brasil, o Ibovespa deverá acompanhar o desempenho externo.

Agenda

E abrindo a agenda de indicadores internos, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15 (IPCA-15) variou 0,16% em junho e ficou abaixo da taxa de 0,24% de maio, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Responsáveis por quase metade das despesas do brasileiro, os grupos alimentação e bebidas (-0,47%) e transportes (-0,10%) vieram em queda no índice de junho.

Por outro lado, o índice de preços ao consumidor - semanal (IPC-S) de 22 de junho de 2017 apresentou variação de -0,12%1, 0,25 ponto percentual (p.p.) abaixo da taxa registrada na última divulgação, segundo dados da Fundação Getulio Vargas (FGV). A maior contribuição partiu do grupo Habitação (0,44% para -0,18%).

Câmbio

Por fim, no mercado de câmbio, o dólar se enfraquece ante as principais moedas dos países desenvolvidos e emergentes.

(MR – Agência IN)