Dívida mobiliária federal interna recua em julho

A dívida mobiliária federal interna, fora do Banco Central, avaliada pela posição de carteira, totalizou R$2.082 bilhões (41,2% do PIB) em julho, registrando decréscimo de R$29,3 bilhões em relação ao mês anterior, segundo dados do Banco Central (BC). O resultado refletiu resgates líquidos de R$51,9 bilhões, acréscimo de R$0,3 bilhão em razão da depreciação cambial e incorporação de juros de R$22,4 bilhões.

Setor público registrou déficit primário de R$ 4 bi em julho

O setor público consolidado registrou déficit primário de R$4,7 bilhões em julho, segundo dados do Banco Central (BC). O Governo Central, os governos regionais e as empresas estatais apresentaram déficits primários de R$1,9 bilhão, R$2,2 bilhões e R$603 milhões, respectivamente.

BC registra resultado positivo de R$5,3 bi no 1º semestre

O Banco Central apresentou, no 1º semestre de 2014, resultado positivo de R$5,3 bilhões. Como a rentabilidade obtida com a administração das reservas internacionais e com os derivativos (swaps) cambiais é neutralizada por meio da operação de equalização cambial, esse resultado é explicado basicamente pela diferença entre receitas e despesas com juros incidentes sobre as operações em moeda local, tais como operações com títulos em carteira e compromissadas, remuneração da conta única do Tesouro Nacional e remuneração de depósitos compulsórios; pelo reembolso do custo de captação das reservas internacionais; e pelo ajuste a valor justo dos créditos a receber das instituições em liquidação. O resultado do 1º semestre será transferido ao Tesouro Nacional no prazo de até 10 dias úteis, a partir da data (28/08/2014).

BC ajusta requerimento de capital para risco de crédito

O Banco Central do Brasil (BCB) aprovou hoje, 20, Circular 3.714  que altera critérios relativos ao requerimento mínimo de capital para risco de crédito. De acordo com a Instituição, os ajustes consideram a fase atual do ciclo de crédito no Brasil e se inserem nos processos de revisão das medidas macroprudenciais adotadas a partir de 2010 e de continuidade da convergência da regulação brasileira aos parâmetros internacionais de Basileia.

IBC-Br recua 1,48% em junho

A atividade econômica recuou 1,48% em junho com relação ao mês imediatamente anterior, na série dessazonalizada, de acordo com informações divulgadas hoje, 15, através do Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br).

Índice de commodities tem queda de 1,85% em julho, informa BC

Os preços das commodities, produtos primários com cotação internacional, tiveram queda de 1,85%, em julho, na comparação com o mês anterior. Em 12 meses encerrados em julho, o Índice de Commodities Brasil (IC-Br), calculado mensalmente pelo Banco Central (BC), apresentou alta de 2,35%.

Projeção do PIB 2014 cai, aponta Focus

Divulgado nesta segunda-feira, 14, pelo Banco Central (BC), o boletim Focus, apontou divergências na projeção dos analistas do mercado financeiro para o desempenho da economia brasileira em 2014 e 2015.

Assinar este feed RSS