Consumidor deve planejar a viagem de Carnaval para gastar menos

  •  

Faltam poucos dias para o Carnaval e os foliões que deixaram para programar a viagem de última hora devem planejar e se organizar para gastar menos com as despesas. Hospedagens, passagens e pacotes podem ficar muito mais baratos se todos os itens forem pesquisados com muita cautela e atenção. Com a inflação e o dólar em alta, os destinos brasileiros são os mais procurados pelo internauta brasileiro, no entanto, os economistas da Serasa Experian, recomendam que o consumidor mantenha a atenção aos preços porque a oscilação do dólar acaba deixando mais caro também o turismo doméstico.

Segundo dados da Hitwise, ferramenta líder de inteligência em marketing digital da Serasa Experian, os destinos brasileiros: parques aquáticos (SP e CE), Beto Carreiro (SC), Caldas Novas (GO), Uberlândia (MG), Porto Seguro (BA) e Cabo Frio (RJ) foram os mais buscados na categoria ‘Viagem – Destinos e Acomodações’, no período de 4 semanas consecutivas terminadas em 08 de fevereiro de 2014. Na mesma categoria e período, depois dos brasileiros, os lugares internacionais mais procurados são: Disney, Nova Iorque e Portugal.

Procurar por promoções e lugares que ofereçam vantagens, como as principais refeições inclusas na estadia, por exemplo, pode ajudar a economizar. Gastos com alimentação e transporte durante as viagens costumam pesar muito no bolso do consumidor. Também é preciso planejar a forma de pagamento de maneira que não comprometa o orçamento por muito tempo, considerando que em menos de dois meses depois do Carnaval chegará o feriado prolongado de Sexta-feira Santa, Páscoa e Tiradentes (de 18 a 21 de abril).

Ao contratar uma viagem, é importante que o consumidor esteja seguro para não se tornar vítima de golpes, como ser surpreendido pelo fechamento da empresa às vésperas do passeio. Para se proteger e não ter dor de cabeça, o consumidor pode consultar a situação financeira de qualquer empresa do Brasil por meio do serviço Você Consulta Empresas da Serasa. Com a pesquisa, é possível saber sobre a existência legal da companhia, endereço, telefone, participação societária, além de verificar se há pedidos de falências, ações judiciais, ocorrências de protestos e cheques sem fundos.
Confira a seguir dez dicas preparadas pelos economistas da Serasa Experian para ajudar o consumidor a se planejar e curtir o Carnaval gastando menos:

1ª O dólar e a inflação estão em alta e isso pode ter influenciado também nos preços das viagens para os destinos nacionais. Neste momento, o ideal é que o consumidor faça uma boa pesquisa e procure promoções de lugares que ofereçam vantagens, como as principais refeições inclusas na estadia, por exemplo;

2ª Faça as contas e veja se não é mais vantajoso viajar de carro. Se a distância for curta e o carro estiver com a capacidade máxima e segura de pessoas, pode valer mais a pena do que ir de ônibus ou avião;

3ª Se o carro não for uma opção, verifique o preço das passagens nos sites das empresas de transporte aéreo, terrestre e agências de turismo. Horários alternativos, como madrugada, geralmente têm descontos. Avalie também as condições oferecidas por cada empresa e informe-se sobre juros cobrados em caso de parcelamento longo. No caso de passagem aérea, verifique se já estão incluídas as taxas de embarque;

4ª Se optar por pacotes de viagem, procure várias agências, pesquise preços, condições de pagamento (parcelamentos e taxas de juros) e outros detalhes. Também não esqueça de verificar se a empresa escolhida possui uma situação financeira estável, para não ser surpreendido às vésperas da viagem. Com uma consulta no valor de R$16,90, o consumidor fica sabendo, por exemplo, se a agência de turismo não está inadimplente e à beira da falência.

5ª Conte com a ajuda da Internet para pesquisar informações sobre os hotéis e pousadas. Procure nos sites de hospedagem, que muitas vezes têm tarifas mais baixas. Também, verifique as despesas não inclusas na estadia, como taxas de serviço e impostos. Em destinos internacionais, é comum que haja impostos cobrados à parte, no próprio hotel. Nos Estados Unidos, por exemplo, é comum que taxas e impostos passem dos 20% nas diárias nos hotéis;

6ª Quando estiver hospedado, evite consumir os produtos do frigobar. Geralmente, o preço é acima do mercado, além de em alguns lugares serem aplicadas ainda as taxas e impostos. Há hotéis que reservam um espaço no frigobar para produtos comprados pelos hóspedes. Aproveite esta comodidade e compre bebidas e petiscos mais em conta no supermercado;

7ª Informe-se sobre os preços, segurança e formas de traslados disponíveis no destino. Opte pela mais barata;

8ª Programe-se também para as despesas durante a viagem. Use a Internet para pesquisar preços de refeições, transporte, passeios (shows e parques, entre outros). Em algumas cidades, há museus que oferecem entrada gratuita em um dia determinado na semana. Procure os escritórios de turismo na Internet que fornecem este tipo de informação;

9ª Se a viagem internacional já estiver programada, é importante que o consumidor tenha se planejado anteriormente, com a compra da moeda estrangeira, por exemplo. Também é recomendado gastar com cautela no passeio. Em dezembro de 2013, o governo elevou a taxa do IOF (de 0,38% para 6,38%) para o carregamento de cartões pré-pagos com moeda estrangeira. Mesmo assim, a modalidade de pagamento ainda é recomendada por congelar o preço do dólar no momento da compra e por fazer com que o consumidor se limite a gastar dentro do planejado;

10ª Evite utilizar o cartão de crédito no exterior porque a constante oscilação do dólar pode encarecer ainda mais a fatura. Esse tipo de pagamento deve servir apenas para despesas imprevistas ou para aquelas que o turista já programou para pagar quando voltar de viagem.

(Redação – Agência IN)

Última modificação emQuinta, 13 Fevereiro 2014 11:13