Cuidados podem evitar desgaste prematuro de amortecedores

  •  
Para garantir a durabilidade de amortecedores, os motoristas podem tomar algumas precauções, entre elas, fazer periodicamente alinhamento e balanceamento de rodas e evitar ruas esburacadas Foto: Divulgação Para garantir a durabilidade de amortecedores, os motoristas podem tomar algumas precauções, entre elas, fazer periodicamente alinhamento e balanceamento de rodas e evitar ruas esburacadas

Para garantir a durabilidade de amortecedores, os motoristas podem tomar algumas precauções, entre elas, fazer periodicamente alinhamento e balanceamento de rodas e evitar ruas esburacadas.

A manutenção preventiva do veículo é fundamental para conservar a durabilidade de diversas peças, entre elas, do sistema de suspensão, bem como de um de seus componentes principais – os amortecedores. “O amortecedor, juntamente com bandeja, mola heliocoidal, pivô, terminal, bieleta, entre outras, merece atenção especial dos motoristas na hora da manutenção, pois são peças essenciais para garantir a segurança e o conforto dos ocupantes do veículo”, afirma Jair Silva, gerente de qualidade e serviços da Nakata, fabricante de autopeças para o mercado de reposição automotiva com uma linha completa de componentes para suspensão, transmissão, freios e motor, marca da Affinia Automotiva.

Para evitar o desgaste prematuro de amortecedores, Silva recomenda fazer alinhamento e balanceamento de rodas, não ultrapassar o limite de carga, não passar em alta velocidade em lombadas ou em ruas esburacadas, não rebaixar a suspensão e efetuar a manutenção preventiva do veículo.

A condição de uso dos amortecedores pode ser observada pelo próprio motorista. “Balanço excessivo nas freadas ou arrancadas, tendência de aquaplanagem em solos alagados e do automóvel deslizar para o lado de fora nas curvas, vibrações e ruídos na suspensão, desgaste de pneus e vazamento de fluido são indícios de amortecedores danificados ou comprometidos”, alerta.

Caso os amortecedores estejam comprometidos, é preciso antes da troca, verificar o estado dos outros componentes que integram o sistema de suspensão. “As outras peças do conjunto de suspensão, como coxins e batentes, sofrem desgaste semelhante”, comenta.

A recomendação é, a partir dos 40 mil quilômetros rodados, revisar o sistema de suspensão a cada 10 mil quilômetros.

(Redação- Agência IN)