Preços de mandioca seguem em queda

Os preços de mandioca seguem em queda, de acordo com pesquisadores do Cepea. A média para a raiz posta fecularia caiu pela quinta semana consecutiva, chegando a R$ 545,90/t (R$ 0,9494 por grama na balança hidrostática de 5 kg) entre 26 de fevereiro e 2 de março, 4,7% abaixo da registrada no período anterior e a menor desde setembro do ano passado, em termos nominais. 

Colheita da mandioca avança e valores têm leve queda

A colheita de mandioca foi retomada neste início de fevereiro em boa parte das regiões acompanhadas pelo Cepea, aumentando a oferta para a indústria – as chuvas ocorridas no final de janeiro prejudicaram o avanço da atividade. Parte dos agricultores demonstrou maior interesse pela colheita nesta semana, seja por conta dos preços em patamares ainda atrativos, ou mesmo pela necessidade de liberação de área. Mesmo assim, poucos são os mandiocultores com produto disponível para comercialização. 

Oferta de mandioca ainda é considerada baixa

Apesar do volume de chuvas ter sido menor em todas as regiões acompanhadas pelo Cepea, possibilitando o avanço da colheita, a oferta ficou abaixo do esperado, devido à baixa disponibilidade de raízes de 1 ciclo e meio ou superior. Ao mesmo tempo, parte dos mandiocultores não demonstra interesse pela entrega de raízes mais novas, devido às baixas produtividades agrícola e industrial. 

Chuva prejudica colheita da mandioca e preços sobem

O ano de 2018 segue com índices pluviométricos expressivos em todas as regiões produtoras de mandioca no Centro-Sul, dificultando o avanço da colheita, conforme indicam pesquisadores do Cepea. Produtores até consideram atrativos os preços atuais e tentam realizar a atividade mesmo com solo úmido. 

Oferta da mandioca restrita, acirrando a disputa por raiz

A oferta de mandioca para a indústria deve continuar limitada no Centro-Sul do País em 2018. Para haver disponibilidade no início deste ano, as lavouras deveriam ter sido implantadas pelo menos no 2º semestre de 2016, ou logo no início de 2017 – período incomum de plantio. Além disso, parte das lavouras com dois ciclos já foi colhida no 2º semestre de 2017, diante dos preços atrativos, e muitos produtores também comercializaram raízes mais novas, em muitos casos com menos de um ano, para fazer caixa ou diante da possibilidade de quedas de preços em 2018.

Assinar este feed RSS