A importância de ter metas

  •  
As metas norteiam o empreendimento Divulgação As metas norteiam o empreendimento

É comum se falar em metas no mundo dos negócios. Sem elas, a empresa não sai do lugar e corre sério risco de perder espaço no mercado para concorrentes com objetivos definidos. Isso vale para todos os setores, seja no comércio, na indústria ou nos serviços, e em qualquer ramo, desde uma padaria, lavanderia passando por uma fábrica de autopeças a até uma academia de ginástica, por exemplo.

As metas são o que norteia o empreendimento. Podem estar relacionadas a vendas, produtividade, expansão ou outro alvo vislumbrado. Elas afetam todas as decisões do empresário, pois apontam para aonde se quer chegar e fazem pensar em providências a serem tomadas nesse sentido.

No entanto, colocá-las em prática exige disciplina ou vão se transformar em um foco de frustrações quando não atingidas.
A meta deve ser estabelecida com critério. Precisa ser específica, caso contrário não vai dar resultado. Pensemos no dono do negócio que deseja aumentar sua base de clientes. Ele tem de definir uma porcentagem de crescimento e em quanto tempo pretende chegar a esse novo patamar. Daí surge a necessidade de monitorar e medir o desempenho, caso contrário ficará impossível saber se a coisa caminha a contento. Para isso, números são a melhor régua. Uma ideia é comparar os dados do período com os de igual intervalo imediatamente anterior e com os de um ano antes. Com base nisso, pode-se fazer uma projeção do pretendido. Portanto, é vital ter as informações da empresa sob controle e documentadas. Nada de se apoiar apenas na percepção.

A meta também tem de ser possível. Jogar a expectativa para um nível irreal e inatingível terá reflexos negativos. Ao mesmo tempo, também não pode ser fácil demais, pois não representará um desafio. Em ambas as situações, acabará representando um desestímulo para os envolvidos. Estudar o mercado e suas possibilidades é obrigatório nesse ponto.
Incorporar metas à realidade da micro e pequena empresa produz ainda outro benefício: o empreendedor passa a planejar suas ações, elemento vital da boa gestão. Essa prática vai dar impulso para o negócio e impedir sua estagnação.

Ivan Hussni – diretor técnico do Sebrae-SP