O absurdo uso de spam pelas assessorias de imprensa

  •  
Spam Foto: Divulgação Spam

Quem trabalha em veículos de comunicação sabe que a quantidade de releases recebidos por dia é absurda.

São dezenas de e-mails (ou spams, se preferirem) que recebemos das empresas de assessoria de imprensa sobre as mais variadas pautas, não importando se escrevemos sobre economia, esportes ou mesmo na área internacional, o meu caso. É sério, recebo desde pautas de alimentos, aviação, bancos, cinema etc.

Na maioria das vezes, basta um pedido ao responsável pela conta que o e-mail é retirado da lista. Mas essa semana uma assessoria, que possui a conta de comunicação do Banco Bonsucesso, passou dos limites.

Depois de receber uma série de e-mails com pautas nada interessantes, pedi que a responsável pelo envio que cuida da conta, retirasse meu e-mail da lista. Em resposta veio uma pérola:

- “Nossos mailings são automáticos, gerados pelo sistema Maxpress. Como são muitos contatos, não conseguimos deletar um a um. Do que eu estou utilizando agora, já deletei seu contato. Entretanto, é só atualizar, que volta. Minha sugestão é que procure o Maxpress e peça para retirar. No meu caso específico, fique à vontade para bloquear meu e-mail, ok? Assim, não o incomodo mais.”

Ora, não sei quem é Maxpress, não dei permissão para usarem meu endereço de e-mail e quem o utiliza diz que o problema não é dela e sim, meu e que cabe a mim resolver. Um completo absurdo.

Pedro Nonato - Diretor Internacional