Orçamento financeiro 2015 – priorize os sonhos e não a crise!

  •  
artigos especiais Foto: Divulgação artigos especiais

2015 não será fácil. Aumento de impostos, de transporte público e de energia, alta do dólar e da inflação... São muitos os aspectos que tornam este um ano digno de preocupação. No entanto, é justamente nas dificuldades que surgem as oportunidades, não é? Por isso, tenho uma proposta: vamos focar em nossos sonhos!

Não digo para esquecermos ou fingirmos que a crise não existe, muito pelo contrário, precisamos compreendê-la e saber que ela está aí, mas acredito que, priorizando os nossos objetivos de vida, passaremos por essa fase da melhor maneira possível. Minha primeira recomendação é não se desesperar. Sabendo da situação, o próximo passo é mudar o modelo mental que temos em relação à forma de fazer um orçamento financeiro.

Ano novo, comportamento novo também. Sempre esperarmos que algo mude, mas continuamos com as mesmas atitudes e hábitos. Tenha ciência da sua situação financeira, fazendo um bom diagnóstico, sabendo exatamente para onde vai cada centavo do seu dinheiro. Isso é educação financeira e é de extrema importância, pois muitas pessoas – principalmente as que têm ganhos variáveis – não sabem nem ao mesmo quanto ganham por mês e gastam aleatoriamente.

Entendido isso, vamos falar dos sonhos. Para conseguir realizá-los, é preciso tê-los muito bem definidos, saber quanto custam, quanto poderá dispender mensalmente para essa finalidade e em quanto tempo conseguirá alcançá-los. Com essas informações em mãos, é hora de aprender um novo jeito de realizar o orçamento financeiro.

A maioria das pessoas faz a seguinte conta: Ganhos (-) Gastos = Lucro/Prejuízo. Não adianta esperar que, assim, sobre algum dinheiro ao final do mês para poupar. Acredite, dificilmente isso acontecerá, até porque temos a tendência de gastar enquanto tivermos, é natural, além disso, você sempre ficará frustrado por não conseguir realizar seus sonhos.

Sendo assim, apresento um novo cálculo: Ganhos (-) Sonhos (-) Gastos. Parece impossível, mas não é, pois, dessa maneira, você estará priorizando os seus objetivos, sendo obrigado a ajustar o seu padrão de vida ao valor que sobrar. Para isso, logo que receber o salário, já se deve retirar a quantia mensal necessária para a realização, colocando esse dinheiro na melhor opção de investimento de acordo com o prazo desse sonho.

Veja que é muito mais uma questão de mudança de comportamento do que saber fazer contas ou ter que se privar de algo. Quando temos metas bem definidas em nossas vidas, poupar não se torna um martírio, mas sim um estilo de vida, que o levará a ter muito mais realizações e satisfações.


Reinaldo Domingos é educador e terapeuta financeiro, presidente da DSOP Educação Financeira, Abefin e Editora DSOP, autor do best-seller Terapia Financeira, dos lançamentos Papo Empreendedor e Sabedoria Financeira, entre outras obras.