Para 2016: Governança Corporativa para todos!

  •  
Para 2016: Governança Corporativa para todos! Foto: Divulgação Para 2016: Governança Corporativa para todos!

Ao entrarmos nas últimas semanas do ano é inevitável arriscarmos alguns palpites e projeções sobre a economia e o mercado nacional em 2016.

Se fizermos um retrospecto, 2015 foi um ano desafiador para as empresas brasileiras, marcado pela alta do dólar e da inflação, aumento das taxas de desemprego, queda de produção da indústria, instabilidade da economia nacional, crise política e corrupção.

De fato, os casos de corrupção que envolveram a Petrobrás nos deixaram boas reflexões sobre a importância de uma Governança Corporativa efetiva para empresas de todos os portes:

Transparência: a transparência empresarial é indispensável para o bom funcionamento de uma empresa. Com a produção de relatórios analíticos sobre saúde financeira, performance, posicionamento de mercado e projeções é possível atrair olhares de investidores e estabelecer boas relações entre os donos, acionistas e gestores, criar uma imagem positiva da empresa e dar credibilidade à marca. A transparência dá embasamento para o crescimento estruturado da empresa e erradica ações corruptivas.

Gestão: no atual cenário econômico, o mercado nacional pede por soluções que tenham como principal objetivo aumentar o rendimento de uma empresa, cortas gastos, acrescer os lucros e buscar a longevidade. A Governança Corporativa é uma aliada do gestor nesse desafio pois corresponde aos processos, costumes, políticas internas e leis que são praticadas para fazer a administração de uma empresa com foco na performance positiva.

Crescimento sustentável: expandir sem planejamento pode ser um erro para a empresa. A governança definirá estratégias, trará fatores críticos para o sucesso, detectará possíveis riscos para uma melhor tomada de decisão, aproveitará talentos da casa para alavancar os resultados no mercado e criará um novo espaço de desafios e oportunidades.

Planejamento: a falta de planejamento coloca em risco a credibilidade da empresa diante do mercado de atuação. O planejamento contínuo preserva valores essenciais da empresa, dá segurança aos negócios e define estratégias assertivas para diferentes cenários que a empresa venha a enfrentar.

Inovação: inovar é sair da zona de conforto e oferecer ao mercado uma nova forma de prestar serviços ou um produto ousado, ou seja, é entrar em território desconhecido, por isso é uma prática arriscada, mas necessária principalmente em momentos de instabilidade econômica. Com auxílio da Governança Corporativa é possível destacar-se da concorrência sem medo, pois a governança dará a empresa uma estrutura de planejamentos, projeções e análise de riscos que garantirá a prosperidade dos negócios.

A Governança Corporativa é base para o crescimento estruturado e perene para os pequenos e médios empreendedores, assim como é para as grandes empresas. Estruturar uma boa governança ampara os proprietários e executivos a conduzir o negócio sem surpresas, riscos e consequentemente aumentam os lucros.

Se 2015 foi o ano da adaptação a uma nova realidade econômica não há dúvidas que 2016 será o ano da Governança Corporativa.

Alcides Rocha é administrador de empresas, especialista em Governança Corporativa e presidente da Finance365.