Dados de maio reforçam projeção de inflação baixa para 2020, diz MUFG

  •  
Dados de maio reforçam projeção de inflação baixa para 2020, diz MUFG Foto: Divulgação

Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15 (IPCA-15) teve variação de -0,59% em maio, contra -0,01% em abril. A entidade apontou que essa foi a menor variação mensal desde o início do Plano Real, em 1994.

 

No ano, o IPCA-15 acumula alta de 0,35% e, em 12 meses, de 1,96%, abaixo dos 2,92% registrados nos 12 meses imediatamente anteriores. Em maio de 2019, a taxa foi de 0,35%.

Dos nove grupos de produtos e serviços pesquisados, cinco apresentaram deflação em maio. Os Transportes registraram a menor variação (-3,15%) e o impacto negativo mais intenso no índice do mês: -0,63 ponto percentual (p.p.). O grupo Habitação (-0,27%) também recuou, contribuindo com -0,04 p.p. No lado das altas, o destaque ficou mais uma vez com Alimentação e bebidas (0,46%), embora tenha havido desaceleração em relação a abril (2,46%). Os demais grupos ficaram entre a queda de 0,20% em Vestuário e a alta de 0,45% em Artigos de residência.

De acordo com o MUFG (Mitsubishi UFJ Financial Group, Inc), holding do Banco MUFG Brasil, os dados de maio reforçam a projeção de inflação baixa para este ano (1,7%), devido à forte recessão esperada para 2020 em meio ao impacto socioeconômico relacionado à pandemia.

O governo anunciou um amplo conjunto de medidas destinadas a fornecer apoio financeiro às famílias mais vulneráveis e às empresas. Porém, quanto pior o cenário de pandemia, pior será o impacto socioeconômico em termos de maior desemprego, trabalhadores desencorajados e fechamento de empresas em vários setores.

Nesse cenário, a demanda doméstica poderá continuar bastante fraca e a inflação acabará o ano no nível mais baixo desde o início do regime de metas para a inflação em 1999.

(Redação - Investimentos e Notícias)