Expectativa de inflação dos consumidores avança

  •  
Destaque Expectativa de inflação dos consumidores avança (Foto: Pexels) Expectativa de inflação dos consumidores avança

A expectativa dos consumidores brasileiros para a inflação nos 12 meses seguintes passou de 5,4% em julho para 5,7% em agosto, o maior valor registrado desde dezembro de 2017, segundo dados da Fundação Getulio Vargas (FGV). Na comparação com o mesmo período no ano anterior, houve recuo de 0,6 ponto percentual.

“O aumento da inflação esperada para os próximos meses reflete em grande medida a percepção de aceleração dos preços durante a greve dos caminhoneiros, captada pelos indicadores de preços de maio e junho. A alta ocorre de forma disseminada entre as classes de renda e regiões pesquisadas, sugerindo haver no momento uma grande sensibilidade do consumidor ao tema, o que pode levar a novas altas enquanto a conjuntura continuar sendo de grande incerteza política e sujeita a fatores adicionais de pressão como a recente desvalorização do real frente ao dólar”, afirma a economista Viviane Seda Bittencourt, da FGV IBRE.

Na distribuição por faixas de inflação, em agosto 56,3% dos consumidores projetaram valores dentro dos limites de tolerância (3%-6%) da meta de inflação de 4,5% estabelecida pelo Conselho Monetário Nacional para este ano. A proporção de consumidores indicando valores abaixo do limite inferior (3%) recuou de 14% em julho para 8,2% em agosto. A frequência de previsões acima do limite superior (6%) aumentou de 34,0% em julho para 35,5% em agosto, a maior nos últimos seis meses.

A expectativa de inflação avançou em todas as faixas de renda, com destaque para as famílias com renda até R$ 2.100,00 cuja variação foi de 0,5 ponto percentual. Para as famílias com renda acima de R$ 9.600,00 a expectativa avançou para 5,0%, o maior nível desde setembro de 2017 (5,1%).

(Redação – Investimentos e Notícias)