Indicador Antecedente recua em maio

  •  
Indicador Antecedente recua em maio (Foto: Pexels) Indicador Antecedente recua em maio

O Indicador Antecedente Composto da Economia (IACE) para o Brasil, publicado pelo FGV IBRE e pelo The Conference Board (TCB) caiu 1,0%, entre abril e maio, para 116,0 pontos. Das oito séries componentes, quatro contribuíram para a queda do indicador, com destaque para o Índice de Ações Ibovespa, que recuou 10,9%.

O Indicador Coincidente Composto da Economia (ICCE, FGV TCB) do Brasil, que mensura as condições econômicas atuais variou -0,1%, no mesmo período. 

“O recuo significativo do IACE em maio reflete uma deterioração das expectativas representadas em seus componentes” afirma Paulo Picchetti do IBRE/FGV. “As dificuldades de aprovação das reformas necessárias para a melhora do quadro fiscal, bem como os desdobramentos da greve dos caminhoneiros, pioraram a percepção com relação à retomada do nível de atividades, que já vinha sendo considerada modesta”, afirma Picchetti.

O Indicador Antecedente Composto da Economia agrega oito componentes econômicos que medem a atividade econômica no Brasil. Cada um deles vem se mostrando individualmente eficiente em antecipar tendências econômicas. A agregação dos indicadores individuais em um índice composto filtra os chamados “ruídos”, colaborando para que a tendência econômica efetiva seja revelada.