Indústria de bicicletas apresenta 20% de crescimento em Maio

  •  
Indústria de bicicletas apresenta 20% de crescimento em Maio Foto: Divulgação

Em maio a produção das fabricantes de bicicletas instaladas no Polo Industrial de Manaus - PIM atingiu 73.299 unidades, alta de 20,1% na comparação com o mesmo mês do ano passado (61.020 unidades). Segundo dados da Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares - Abraciclo, esse foi o melhor resultado alcançado para o mês desde 2012. Naquela ocasião, foram fabricadas 70.771 unidades. A produção de bicicletas nos primeiros cinco meses do presente ano atingiu a marca de 332.721 unidades, alta de 18,4% ante o mesmo período de 2018 (281.089 unidades).

No desempenho de maio em relação a abril, no entanto, houve redução de 3,1% (75.680 unidades). Esse recuo não afeta o desempenho do setor que continua aquecido de forma sustentável. Cyro Gazola, vice-presidente do Segmento de Bicicletas da Abraciclo, afirma que indústria está em constante evolução e que trabalha para atender às expectativas de clientes que buscam cada vez mais bicicletas que entregam eficiência, qualidade e segurança, como as equipadas com quadro de alumínio, suspensão, freios a disco e sistema de marchas, entre outros itens de maior valor agregado', diz.

Também contribuem para elevação da produção, na avaliação de Gazola, o aumento da oferta de crédito e o crescimento da malha cicloviária nas médias e grandes cidades brasileiras. Com isso, a Abraciclo confirma a projeção de fechamento do ano com 857 mil bicicletas produzidas no PIM, volume 10,8% superior ao registrado no ano passado.

Em maio, a Mountain Bike foi a categoria mais produzida no PIM, com 35.268 unidades, alta de 34,8% na comparação com o mesmo mês do ano passado (26.170 unidades), mas com redução de 16,7% em relação a abril (42.344). Em segundo lugar, ficou a Urbana, com 28.609 unidades, correspondendo a um recuo de 0,2% ante as 28.672 unidades fabricadas em maio de 2018 e alta de 10,3% em relação a abril (25.935).

Na sequência do ranking, em terceira posição ficou a categoria Infanto-Juvenil, que somou 8.886 bicicletas, aumento de 55,3% na comparação com maio de 2018 (5.720 unidades) e de 30,4% em relação ao mês anterior (6.817 unidades). A Estrada obteve a quarta posição no ranking, com 497 unidades, volume 8,5% superior ao registrado no mesmo mês do ano passado (458 unidades), mas 3,9% inferior ao resultado alcançado em abril (517 unidades). A categoria Elétrica, que passou a ser incluída no ranking mensal da Abraciclo este ano, somou 39 unidades, recuo de 41,8% na comparação com o mês anterior (67 unidades).

Essas posições foram praticamente mantidas no ranking do volume acumulado do ano. A Moutain Bike teve 54,7% de participação, com 181.942 unidades. Em segundo lugar, ficou a Urbana, com 34,2% e 113.838 unidades, seguida pela Infanto-Juvenil, com 9,9% e 32.838 unidades, pela Estrada, com 0,9% e 3.059 unidades, e, finalmente, pela Elétrica, com 0,3% e 1.044 unidades.

Os volumes de bicicletas produzidas no PIM, entre os meses de janeiro a maio deste ano, foram distribuídos para comercialização nas seguintes regiões do País: Sudeste, com 56,4% das unidades; Sul, 15,9%; Norte, 11,1%; Nordeste, 10,8% e Centro-Oeste, 5,8%.

Em maio, foram importadas 2.697 bicicletas em todo o território nacional, de acordo com dados do portal de estatísticas de comércio exterior Comex Stat analisados pela Abraciclo. Pelo levantamento, o maior volume veio da China (48,6% de participação, com 1.311 bicicletas). Na sequência, vieram Portugal (23,6% e 636 unidades) e Taiwan (22,1% e 595 unidades).

Ainda de acordo com esses dados, de janeiro a maio deste ano foram importadas 20.737 bicicletas, volume 46,2% inferior ao registrado no mesmo período de 2018 (38.558 unidades). A China também lidera este ranking, com 15.625 unidades e 75,3% de participação, seguida por Taiwan (2.630 unidades e 12,7%) e Portugal (1.493 unidades e 7,2%).

Em relação às exportações, também a partir de dados do portal Comex Stat analisados pela Abraciclo, foram embarcadas 2.510 bicicletas em maio. A Argentina foi o principal destino destas exportações, com 2.114 unidades, correspondendo a 84,2% de participação. Em seguida, vieram o Chile (256 unidades e 10,2%) e os Estados Unidos (128 unidades e 5,1%).

No volume acumulado do ano, foram embarcadas 7.854 unidades, representando um salto de 163,4% ante as 2.982 bicicletas exportadas no mesmo período de 2018. A Argentina foi o principal destino, com 3.650 bicicletas e 46,5% de participação. Em segundo lugar ficou o Chile, com 1.748 unidades e 22,3%. O Paraguai foi o terceiro colocado entre os principais destinos, com 787 unidades e 10% de participação.

(Redação - Investimentos e Notícias)