Inflação da Festa Junina chega a 9,15%, segundo FGV IBRE

  •  
Inflação da Festa Junina chega a 9,15%, segundo FGV IBRE Foto: Divulgação

As tradicionais Festas Juninas pesarão mais no bolso do consumidor este ano. O preço médio das comidas típicas da época subiu acima da inflação, segundo um levantamento do Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (FGV IBRE). Os ingredientes utilizados no preparo das iguarias das festas aumentaram, em média, 9,15% - entre junho de 2018 e maio de 2019 -, registrando um aumento acima da inflação acumulada no mesmo período, que foi de 5,06% (IPC-10/FGV).

Os produtos que mais subiram de preço foram: Batata-Inglesa (98,13%), a grande vilã do arraiá, assim como a Couve (24,43%) e a Farinha de Trigo (21,75%). Na lista de altas entram ainda Leite de Coco (17,80%), Macarrão (13,54%) e Fubá de Milho (12,77%). A Salsicha e Salsichão (12,30%), que não pode faltar no cardápio da festa, também aumentou, além de Macarrão Instantâneo (11,08%) e Queijo Minas (9,38%) - todos apresentaram alta acima da inflação média dos itens de Festa Junina.

"Os itens da cesta junina que mais avançaram de preço apresentam um nível de preço baixo. Portanto, não se apresentam como um desafio para o consumidor. A maior parte é derivada de grandes commodities, como o trigo, que acumularam alta expressiva nos últimos 12 meses. Segundo o IPA (Índice de Preços ao Produtor Amplo), o trigo subiu 9,14%", pontuou André Braz, coordenador do IPC do FGV IBRE.

Há, contudo, os itens que estão mais baratos. Destaque para a Farinha de Mandioca, cuja variação foi de -23,47%; o Bolo Pronto (-1,98%); o Açúcar Refinado (-0,67%) e as Bebidas Destiladas (-0,02%).

(Redação - Investimentos e Notícias)