Setor de serviços cresce 0,8% em outubro

  •  
Destaque Setor de serviços cresce 0,8% em outubro (Foto: Pexels) Setor de serviços cresce 0,8% em outubro

Em outubro de 2019, o volume de serviços no Brasil teve crescimento de 0,8% frente a setembro, na série livre de influências sazonais, registrando, assim, a segunda taxa positiva seguida e um ganho acumulado de 2,2% nesse período, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 

Na série sem ajuste sazonal, no confronto com igual mês do ano anterior, o total do volume de serviços avançou 2,7% em outubro de 2019, alcançando, portanto, a segunda taxa positiva consecutiva e a sexta não sequencial de 2019. 

No indicador acumulado de janeiro a outubro de 2019, o volume de serviços mostrou expansão de 0,8%. A taxa anualizada, indicador acumulado nos últimos 12 meses, ao avançar 0,8% em outubro de 2019, assinala ganho de ritmo frente a agosto (0,6%) e setembro (0,7%) últimos.

O avanço de 0,8% do volume de serviços, observado na passagem de setembro para outubro de 2019, foi acompanhado por quatro das cinco atividades de divulgação investigadas, com destaque para o setor de serviços de informação e comunicação (1,8%), impulsionado tanto pelo segmento de tecnologia da informação (2,6%) quanto pelos audiovisuais (6,7%). 

Os demais avanços vieram dos setores de transportes, serviços auxiliares aos transportes e correio (1,1%), de serviços prestados às famílias (1,5%) e de serviços profissionais, administrativos e complementares (0,1%), com os dois primeiros alcançando a segunda taxa positiva seguida e acumulando ganhos de 2,9% e de 2,5%, respectivamente; enquanto o último emplacou o terceiro resultado positivo consecutivo, período em que acumulou ganho de 3,1%. Em contrapartida, os outros serviços (-0,3%) assinalaram a única taxa negativa de outubro, eliminando, portanto, parte do avanço de 0,5% observado em setembro.

Regiões

Regionalmente, 22 das 27 unidades da federação assinalaram expansão no volume dos serviços em outubro de 2019, na comparação com o mês imediatamente anterior, acompanhando o avanço de 0,8% observado no Brasil na série com ajuste sazonal.

Entre os locais que apontaram resultados positivos nesse mês, destaque para Rio de Janeiro (2,0%), São Paulo (0,5%) e Santa Catarina (3,7%), com os dois primeiros alcançando a segunda taxa positiva seguida com ganhos acumulados de: 3,6% e de 2,6%, respectivamente; e o último recobrando integralmente a perda acumulada de 2,3% verificada entre agosto e setembro.

Em contrapartida, os principais resultados negativos em termos regionais vieram de Roraima (-7,9%), do Acre (-4,5%) e de Tocantins (-1,9%).

(Redação – Investimentos e Notícias)