CVM valida emissão de CRI com lastro em empréstimo com garantia real imobiliária

Nesta semana, a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) admitiu que "Instrumentos Particulares de Empréstimo com Pacto Adjeto de Alienação Fiduciária de imóvel em garantia" sirvam como lastro de Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRI). A autorização para lastro de CRI aconteceu após a CVM julgar o recurso apresentado pela Barigui Securitizadora S.A., empresa que atua com securitização imobiliária, líder de emissões no ano de 2015 e integrante do Conglomerado Financeiro Barigui.

Títulos de dívida corporativa crescem 47% em 2017

Em 2017, os títulos de renda fixa corporativos (Debênture, CRA, CRI, FIDC e Nota Comercial) apresentaram crescimento de 47% no volume de emissões em relação a 2016, somando R$ 149,5 bilhões em novos registros, segundo levantamento da Unidade de Títulos e Valores Mobiliários da B3. O estoque - montante total na carteira de investidores - dos instrumentos de dívida corporativa depositados na companhia totaliza atualmente R$ 460 bilhões.

CRI alcança R$ 51,8 bi em agosto na Cetip

O estoque de Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRIs) registrados na Cetip, maior depositária de títulos privados de Renda Fixa da América Latina e maior câmara de ativos privados do País, alcançou R$ 51,8 bilhões no final de agosto, com crescimento de 46% em relação ao montante verificado no mesmo período do ano passado. Os CRIs são emitidos por companhias securitizadoras procuradas por participantes da cadeia imobiliária e funcionam como alternativa de financiamento para este setor, além de uma opção de investimento com ganhos isentos de imposto de renda para o investidor pessoa física.

(Redação – Agência IN)

Barigüi Securitizadora atinge R$ 1,2 bilhão em emissões de CRIs

Com sede em São Paulo e apenas um ano de atuação, a Barigüi Securitizadora registrou operações que totalizam R$ 1,27 bilhão na emissão de CRIs no primeiro semestre deste ano. De acordo com informações do mercado, estes dados fazem com que a companhia passe a ocupar o segundo lugar entre as securitizadoras do país. Além destes resultados, no início do segundo semestre a companhia já movimentou mais R$ 300 milhões, totalizando R$ 1,6 bilhão até o momento neste ano.

Assinar este feed RSS