Utilização da capacidade instalada fica estável em fevereiro

Os resultados da Sondagem Industrial de fevereiro reforçam a moderação do processo de recuperação da indústria, segundo dados da Confederação Nacional da Indústria (CNI). A produção, que tende a reduzir-se em fevereiro, em 2019 caiu menos intensamente que em anos anteriores – deve-se observar que o Carnaval, por ter ocorrido em março e não em fevereiro, como usual, têm influência nesse resultado relativamente positivo. A utilização da capacidade instalada manteve-se em 66%, ainda distante do observado entre 2011 e 2014, mas superior ao observado em 2016 a 2018. 

Capacidade de geração de energia chega a 150,4 GW em 2016

A capacidade instalada de geração de energia no Brasil chegou a 150,4 GW em 2016, aumento de 9,5 GW em relação a 2015. Do total da expansão, 90% foram de renováveis, que continuam em destaque no País. Os dados são do Boletim de Capacidade Instalada de Geração Elétrica - Brasil e Mundo 2016, do Ministério de Minas e Energia (MME).

Capacidade instalada de geração de energia atinge 142.610 MW em março

A capacidade instalada total de geração de energia elétrica do Brasil atingiu 142.610 Megawatts (MW) em março. Nos 12 meses anteriores, houve um acréscimo de 7.265 MW, sendo 2.735 MW de geração de fonte hidráulica, de 1.704 MW de fontes térmicas, 2.818 MW de fonte eólica e 8 MW de fonte solar. Os dados são do Boletim Mensal de Monitoramento do Setor Elétrico, divulgado, nesta terça-feira (3), pelo Ministério de Minas e Energia (MME).

Utilização da capacidade instalada recua no mês de abril

A atividade industrial caiu ainda mais em abril. O indicador de evolução da produção ficou em 39,7 pontos e o de utilização da capacidade instalada (UCI) efetiva em relação ao usual para o mês atingiu 35,6 pontos, o menor da série histórica iniciada em junho de 2009. Em abril, a indústria operou, em média, com 67% da capacidade instalada, quatro pontos percentuais abaixo da de abril de 2014. As informações são da Sondagem Industrial, divulgada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), nesta quinta-feira (21). Os indicadores da pesquisa variam de zero a cem. Abaixo de 50, mostram queda na produção e UCI efetiva abaixo do usual para o mês.

Indústria melhora índices relativos a faturamento e uso da capacidade instalada

A utilização da capacidade instalada (UCI) da indústria brasileira aumentou em setembro, na comparação com agosto, passando de 80,5 para 81,3 pontos, descontadas as influências sazonais. No mesmo período, além do aumento de 0,8 ponto na UCI, o índice de horas trabalhadas na produção subiu 1% e o de faturamento real da indústria, 0,8%. Os dados constam dos Indicadores Industriais, divulgados hoje (3) pela Confederação Nacional da Indústria (CNI).

Indústria: utilização da capacidade instalada diminui, diz CNI

A utilização da capacidade instalada na indústria (UCI) ficou em 80,1% em junho, ante 80,6 % registrado em maio. Os dados foram divulgados hoje (5) pela Confederação Nacional da Indústria (CNI). De acordo com Fábio Guerra, economista da CNI, a utilização da capacidade instalada teve em junho o menor percentual desde abril de 2009, logo após o início da crise. O faturamento real da indústria caiu 5,7% e as horas trabalhadas na produção tiveram queda de 3% em junho na comparação com maio, na série livre de influências sazonais.

Utilização da capacidade instalada recua em maio

As horas trabalhadas na produção caíram 0,4%, o emprego recuou 0,3% e a massa real de salários na indústria diminuiu 0,9% em maio na comparação com abril na série livre de influências sazonais. O rendimento real do trabalhador e o nível de utilização da capacidade instalada também diminuíram, o que confirma a retração da atividade na indústria. As informações são da pesquisa Indicadores Industriais, divulgada nesta quinta-feira (3), pela Confederação Nacional da Indústria (CNI).

Assinar este feed RSS