Incertezas sobre reforma da previdência provocam volatilidade no mercado

As dúvidas com relação à proposta da reforma previdenciária encaminhada ao Congresso e as correções para baixo das expectativas de crescimento da economia para 2019 colaboraram para um ambiente de maior volatilidade em fevereiro, segundo dados da ANBIMA (Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais).

OCDE reduz projeção de crescimento da economia brasileira em 2019

A economia brasileira deve crescer 2,1% no próximo ano. Essa é a previsão para o Produto Interno Bruto (PIB), soma de todos os bens e serviços produzidos pelo país, divulgada hoje (21) pela Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE). A estimativa é menor que a divulgada pela organização em setembro: 2,5%.

  • Publicado em Economia

Economia brasileira sobe 0,2% em agosto, mostra monitor do PIB

O Monitor do PIB-FGV aponta, na série com ajuste sazonal, crescimento de 0,2% da atividade econômica em agosto, em comparação ao mês de julho. Na variação trimestral móvel (jun-jul-ago quando comparado ao trimestre mar-abr-mai), entretanto, a economia apresentou crescimento de 1,6%. Na comparação interanual, a atividade econômica apresentou resultados positivos com crescimento de 1,9% no mês e 1,9% no trimestre. 

  • Publicado em Economia

Economia brasileira em 2018 deve crescer mais do que em 2017, diz pesquisador da FGV

Para Marcel Balassiano, economista do Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (FGV IBRE), a economia brasileira em 2018 deve crescer mais do que em 2017. Para o especialista, o ano representou a saída da recessão – a pior da história do Brasil. "A economia vai crescer 2,8% em 2018, de acordo com as projeções do FGV IBRE. A inflação já recuou bastante, e provavelmente vai ficar abaixo do limite inferior de tolerância (3,0%) esse ano e abaixo da meta novamente no ano que vem, algo em torno de 4%. As expectativas para a taxa Selic, que já recuou de 14,25% para 7%, são de mais uma queda para 6,75% na primeira reunião do Copom em 2018 e na manutenção desse percentual ou algo próximo desse patamar ao longo do ano", diz Marcel Balassiano.

Ministro diz que economia teve sinais de melhora no 1T17

O ministro do Planejamento, Dyogo Oliveira, disse hoje (5) que a economia brasileira apresentou sinais de melhora no primeiro trimestre. Segundo ele, a indicação de recuperação é resultado de ações do governo e do empenho na aprovação de reformas como a da Previdência.

Economia brasileira ainda vai mal para 81% dos consumidores, mostra SPC Brasil

Com a demora para o país dar sinais mais consistentes de recuperação da crise, a maioria dos brasileiros têm uma percepção negativa a respeito do atual momento da economia. Segundo dados levantados pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), apenas 2% dos consumidores consideram que a economia brasileira está em boas condições, contra 81% que consideram ruim ou muito ruim o atual quadro econômico nacional. Outros 16% avaliam a situação como regular.

Assinar este feed RSS