Taxa Selic poderia ter sido reduzida, diz Firjan

A economia brasileira segue com elevada ociosidade nos fatores de produção e, com isso, a atividade econômica segue abaixo do seu potencial, sem pressionar a inflação e suas expectativas. Nesse cenário, e diante das sucessivas reduções das expectativas de crescimento para o ano, a Firjan entende que havia espaço para o Copom reduzir a taxa básica de juros, estimulando a atividade econômica sem comprometer a meta de inflação.

 

Firjan considera adequada manutenção da taxa Selic

A Firjan considera adequada a decisão do Copom de manter a taxa básica de juros em 6,50% ao ano, levando em conta que a economia brasileira segue com elevada capacidade ociosa, tanto no parque fabril quanto no mercado de trabalho. De fato, a recuperação econômica ainda é muito lenta e o desemprego elevado. Além disso, a inflação corrente segue em nível historicamente baixo e as expectativas de inflação se mantêm abaixo da meta estabelecida.

 

  • Publicado em Economia

Manutenção da taxa Selic é acertada, diz Firjan

A Firjan considera acertada a decisão do Copom de manter a taxa básica de juros em 6,5% ao ano, uma vez que a taxa de desemprego segue em nível historicamente alto e ainda há elevada capacidade ociosa na economia brasileira. De fato, a atividade econômica segue abaixo de seu potencial e as expectativas de inflação se mantêm dentro da meta estabelecida.

  • Publicado em Economia

Nível socioeconômico das cidades brasileiras retrocedeu três anos com a crise, diz FIRJAN

A crise econômica, que teve início em 2014 e causou forte recessão no país, fez com que o nível socioeconômico das cidades brasileiras retrocedesse três anos. É o que aponta o Índice FIRJAN de Desenvolvimento Municipal (IFDM), divulgado pelo Sistema FIRJAN (Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro) com base em dados oficiais de 2016, últimos disponíveis. De acordo com o estudo, na comparação com 2015, as áreas de Educação e Saúde tiveram o menor avanço da última década e não compensaram as perdas do mercado de trabalho nos últimos anos. Assim, nesta edição o IFDM Brasil atingiu 0,6678 ponto – abaixo do nível observado em 2013.

FIRJAN considera decisão do Copom acertada e defende urgência de reformas estruturais

O Sistema FIRJAN considera acertada a decisão do Copom de manter a taxa básica de juros em 6,50% ao ano. Desde a última reunião do colegiado, as projeções para o PIB recuaram em torno de 1 ponto percentual e já apontam para um crescimento abaixo de 2% em 2018. Além disso, a inflação atual e a projetada encontram-se abaixo do centro da meta estabelecida.

Aceleração da queda da taxa de juros é decisão acertada, considera FIRJAN

O Sistema FIRJAN considera acertada a decisão do Copom de acelerar a queda da taxa de juros, na medida em que a inflação está em trajetória cadente e a atividade econômica ainda não mostrou sinais claros de recuperação. De fato, a inflação deve encerrar o ano abaixo da meta de 4,5%, fato que não ocorre há oito anos, ao passo que as expectativas para o crescimento do PIB não só permanecem inferiores a 1% como têm sido revisadas para baixo há quatro semanas.

 

Redução da taxa de juros precisa ser acompanhada de medidas estruturais, diz FIRJAN

A manutenção do ritmo de corte da taxa de juros era esperada, à medida que as estatísticas reforçam o quadro de queda da inflação e atividade ainda no campo recessivo. De fato, a economia ainda não apresenta sinais robustos de recuperação, com desempenho pior do que o esperado, ao mesmo tempo que os preços mantêm trajetória cadente e as projeções apontam para inflação abaixo do centro da meta no fim de 2017.

 

Assinar este feed RSS