Utilização da capacidade instalada fica estável em fevereiro

  •  
Utilização da capacidade instalada fica estável em fevereiro (Foto: Pexels) Utilização da capacidade instalada fica estável em fevereiro

Os resultados da Sondagem Industrial de fevereiro reforçam a moderação do processo de recuperação da indústria, segundo dados da Confederação Nacional da Indústria (CNI). A produção, que tende a reduzir-se em fevereiro, em 2019 caiu menos intensamente que em anos anteriores – deve-se observar que o Carnaval, por ter ocorrido em março e não em fevereiro, como usual, têm influência nesse resultado relativamente positivo. A utilização da capacidade instalada manteve-se em 66%, ainda distante do observado entre 2011 e 2014, mas superior ao observado em 2016 a 2018. 

Destaca-se ainda que o nível dos estoques se encontra acima do planejado pela indústria, o que sugere certa frustração com a demanda. Os empresários também reavaliaram suas expectativas, o que resultou em queda do otimismo e redução da intenção de investir.

O índice de evolução da produção de fevereiro de 2019 situa-se em 48,5 pontos. O índice de fevereiro está abaixo da linha divisória de 50 pontos, como usual para o mês – ou seja, mostra queda da produção na passagem de janeiro para fevereiro.

Destaca-se que o índice de evolução a produção de 2019 é o maior para fevereiro desde 2012. Desde o início da série histórica mensal, em 2010, somente nesse ano e no seguinte o índice superou os 50 pontos em fevereiro. Ou seja, em 2019, a queda da produção entre os dois primeiros meses do ano foi a menos intensa dos últimos oito anos. Ressalte-se, contudo, que a ocorrência do Carnaval em março, e não em fevereiro, como usual, pode responder, ao menos em parte, por esse resultado.

O índice de evolução do número de empregados de fevereiro de 2019 encontra-se em 48,9 pontos. O índice mostra queda do emprego entre janeiro e fevereiro, diferentemente do observado no mesmo período do ano passado: o índice de fevereiro de 2018 ficou em 49,6 pontos, muito próximo à linha divisória.

A Utilização da Capacidade Instalada manteve-se estável em 66% em fevereiro de 2019. O percentual supera em 2 pontos percentuais (p.p.) o registrado no mesmo mês de 2018 e também supera o registrado no mesmo mês de 2016 e 2017. Não obstante, permanece distante da UCI observada antes da crise recente: 5 p.p. abaixo da média do indicador nos meses de fevereiro de 2011 a 2014.

O índice de UCI efetiva em relação ao usual cresceu pelo segundo mês consecutivo, alcançando 43,4 pontos em fevereiro de 2019. Ao permanecer distante dos 50 pontos, registra que a atividade industrial segue abaixo do usual para o mês. O aumento registrado nos últimos meses, por outro lado, mostra que a distância entre a UCI observada e a esperada no mês já foi maior.

Os estoques mantiveram-se praticamente estáveis em fevereiro de 2019. O índice de evolução dos estoques situa-se em 50,2 pontos, próximo da linha divisória. Apesar disso, a indústria avalia que o nível de estoque atual é excessivo. O índice de nível de estoque efetivo em relação ao planejado passou de 50,2 pontos em janeiro para 51,1 pontos em fevereiro. Assim, ao se afastar da linha divisória, o índice, que registrava estoques ajustados ao nível planejado, passou a apontar nível de estoques acima do desejado.

Os índices de expectativa caíram entre fevereiro e março de 2019. Todos estavam em patamares elevados, bem distantes da linha divisória de 50 pontos que separa expectativa de aumento da de queda. Assim, mesmo com o recuo, todos índices ainda estão distantes dos 50 pontos, ou seja, apontam expectativas de aumento da demanda, compras de matérias-primas, número de empregados e quantidade exportada nos próximos seis meses.

Por fim, o índice de intenção de investimento interrompeu sequência de cinco meses de alta, ao recuar 1,2 ponto em março, para 55,4 pontos. Apesar da queda, o índice mantém-se 2,1 pontos acima do registrado em março de 2018 e 6,5 pontos acima da média histórica do índice.

(Redação – Investimentos e Notícias)