Demanda do consumidor por crédito recua 4,5% em setembro

  •  
Demanda do consumidor por crédito recua 4,5% em setembro (Foto: Pexels) Demanda do consumidor por crédito recua 4,5% em setembro

De acordo com o Indicador Serasa Experian da Demanda do Consumidor por Crédito, a quantidade de pessoas que buscou crédito caiu 4,5% em setembro/18 em relação ao mês imediatamente anterior. Todavia, na comparação com setembro do ano passado, houve alta de 5,2% da procura por crédito pelo consumidor. Assim, no acumulado do ano até setembro, a busca do consumidor por crédito cresceu 8,6% perante os primeiros nove meses do ano passado.

Segundo os economistas da Serasa Experian, a busca do consumidor por crédito foi impactada negativamente em setembro pelas incertezas político-eleitorais, que ocasionaram alta do dólar e recuo dos níveis de confiança do consumidor. Também a menor quantidade de dias úteis em relação a agosto foi um fator que pesou sobre a demanda do consumidor por crédito em setembro.

Análise por classe de renda pessoal mensal

O recuo da demanda dos consumidores por crédito em setembro/18 ocorreu em todas as classes de renda. Para os que ganham até R$ 500, foi de 6,4%. Para os consumidores com renda mensal entre R$ 500 e R$ 1.000, foi de 3,9%. Para a renda mensal entre R$ 1.000 e R$ 2.000, foi de 4,2%. Já os consumidores com renda mensal entre R$ 2.000 e R$ 5.000, foi de 4,9%. Para os que ganham entre R$ 5.000 e R$ 10.000 por mês, o tombo foi de 5,0% e, por fim, para a renda mensal maior que R$ 10.000, a queda na procura por crédito foi de 5,3%.

No acumulado do ano até setembro/18, na comparação com o mesmo período do ano passado, a procura do consumidor por crédito apresentou variações positivas em todas as faixas de renda: alta de 27,1% para quem recebe até R$ 500 por mês; de 6,5% para quem ganha entre R$ 500 e R$ 1.000 mensais; e 6,6% para os que recebem entre R$ 1.000 e R$ 2.000 por mês. Já nas rendas mais altas, os avanços na procura por crédito no acumulado do ano até setembro/18 foram: 6,5% para a faixa de renda entre R$ 2.000 e R$ 5.000 mensais; 6,6% para o consumidor com renda entre R$ 5.000 e R$ 10.000 por mês e de 6,8% para quem ganha mais de R$ 10.000.

Regiões 

Na comparação contra o acumulado dos primeiros nove meses do ano passado, houve avanços da demanda por crédito em todas as regiões: no Centro-Oeste (15,9%); Nordeste (13,9%); Norte (9,6%); Sudeste (6,4%); e no Sul (5,9%).

(Redação – Investimentos e Notícias)