Carteira recomendada da Toro Investimentos para setembro

  •  
Carteira recomendada da Toro Investimentos para setembro (Foto: Pexels) Carteira recomendada da Toro Investimentos para setembro

No início do mês de agosto foi possível observar que a Bolsa brasileira ainda refletiu a redução na taxa de juros mundo à fora. No entanto, a entrada de fluxo comprador foi interrompida quando os atritos comerciais entre Estados Unidos e China voltaram a direcionar o mercado, com o presidente estadunidense anunciando novas tarifas sobre as exportações chinesas, jogando o Ibovespa para baixo dos 96 mil pontos.

Parte desse movimento foi corrigido na última semana de agosto tendo como principal motivo a divulgação do PIB nacional, que surpreendeu positivamente o mercado, além da queda do nível de desemprego, o que sustenta o otimismo em relação ao âmbito interno.

Para o mês de setembro os analistas da Toro Investimentos acreditam que não apenas acontecimentos internos, mas também as articulações entre Donald Trump e Liu He devem ditar o ritmo do mês. O tom mais ameno entre os dois gigantes acompanhado das expectativas para o cenário nacional deve impulsionar o movimento comprador para o Ibovespa, mas não com o mesmo ímpeto do observado no início do ano.

Dessa forma, os analistas separaram cinco empresas que têm potencial de superar a performance do Ibovespa. Eles sugerem o investimento de 20% do capital em cada uma das ações recomendadas.

Abaixo estão os cinco ativos escolhidos, com o preço de entrada recomendado, o objetivo e o stop, além do potencial de ganho e risco máximo da carteira:

Cyrela (CYRE3) - A tendência para as próximas semanas do ativo está indefinida. Ao longo do tempo, a ação não conseguiu formar uma sequência de topos e fundos positiva ou negativa, indicando que não é possível identificar se os compradores ou os vendedores têm maior força no mercado.

Lojas Renner (LREN3) - O preço das ações da Lojas Renner tem maior possibilidade de subir, pois existem mais investidores dispostos a comprar do que vender. A tendência para as próximas semanas é de alta. O ativo conseguiu formar uma sequência de topos e fundos em patamares cada vez mais altos, o que ilustra que os preços atuais estão acima dos preços anteriores. Dessa maneira, conclui-se que o volume de compradores segue superior ao volume de vendedores ao longo do tempo.

OdontoPrev (ODPV3) - O preço das ações da Odontoprev tem maior possibilidade de subir, pois existem mais investidores dispostos a comprar do que vender. A tendência para as próximas semanas é de alta. 

Petrobras (PETR4) - O preço das ações da Petrobras tem maior possibilidade de cair, pois existem mais investidores dispostos a vender as ações do que compradores. A tendência dos preços para as próximas semanas segue de baixa. A desvalorização que o ativo tem sofrido nos pregões anteriores confirma a maior força da pressão vendedora. Esse movimento pode ser visto pela formação de topos e fundos em patamares cada vez mais baixos, o que indica que os preços tendem a permanecer em baixa.

CTEEP (TRPL4) - A tendência para as próximas semanas do ativo está indefinida. Ao longo do tempo, a ação não conseguiu formar uma sequência de topos e fundos positiva ou negativa, indicando que não é possível identificar se os compradores ou os vendedores têm maior força no mercado.

(Redação – Investimentos e Notícias)