Emissões no mercado de capitais somam R$ 33,7 bilhões, aponta ANBIMA

  •  
Emissões no mercado de capitais somam R$ 33,7 bilhões, aponta ANBIMA Foto: Divulgação

Segundo levantamente da ANBIMA (Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais), as ofertas no mercado de capitais concluídas em abril somaram R$ 33,7 bilhões.

 

De acordo com a entidade, nos quatro primeiros meses de 2020, as empresas brasileiras realizaram 406 operações, totalizando R$ 115,1 bilhões, alta de 40,4% sobre o mesmo período do ano passado, quando foram movimentados R$ 82 bilhões a partir de 340 emissões.

Enquanto os instrumentos de renda variável não foram utilizados pelas empresas em abril, as operações em renda fixa registraram o maior mensal volume do ano, com R$ 30,4 bilhões. O destaque é para as emissões de debêntures, que somaram R$ 15,6 bilhões em abril (34 operações).

No ano, as captações com debêntures atingiram R$ 32,4 bilhões, contra R$ 43,6 bilhões do mesmo período de 2019 (queda de 25,6%).

Ainda segundo a Anbima, as notas promissórias, papéis de renda fixa de prazos mais curtos, saltaram de R$ 1,5 bilhão, em março, para R$ 13 bilhões em abril - o maior volume mensal da série histórica da instituição.

Até o fim de abril, 55 ofertas no mercado de capitais, incluindo debêntures, CRAs (Certificados de Recebíveis do Agronegócio), CRIs (Certificados de Recebíveis Imobiliários), FIDCs (Fundos de Investimento em Direito Creditório) e fundos imobiliários estão em análise pela CVM (Comissão de Valores Mobiliários) ou pelo convênio entre a ANBIMA e a autarquia, podendo chegar a R$ 11,7 bilhões.

Referente ao mercado externo, as empresas brasileiras não concluíram operações durante o período de abril. No acumulado dos quatro primeiros meses do ano, dez ofertas de renda fixa e uma de renda variável totalizaram R$ 38,9 bilhões (US$ 9,2 bilhões).

(Redação - Investimentos e Notícias)