Títulos públicos voltam a se valorizar com possíveis novos cortes na Selic

Segundo relatório da ANBIMA (Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais), os títulos públicos voltaram a apresentar valorização em setembro com a nova redução da Selic, após recuarem em agosto deste ano. A Associação informou que a sinalização do Banco Central de que os juros podem ter ainda mais quedas ajudou a manter este cenário.

Sobem as rentabilidades dos títulos públicos

A redução da Selic para 5,5%, anunciada ontem à noite pelo Copom (Comitê de Política Monetária, do Banco Central), e as expectativas do mercado de que os juros encerrem o ano ainda mais baixos, refletem hoje nas rentabilidades dos títulos públicos, sobretudo nos de longo prazo. 

Títulos públicos atingem a menor rentabilidade dos últimos 12 meses

Segundo dados da ANBIMA (Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais), os títulos públicos apresentaram em agosto o menor retorno dos últimos 12 meses. A rentabilidade do IMA-Geral, índice que acompanha a variação média desses papéis em mercado, foi de 0,16% no mês e de 9,12% no acumulado de 2019.

Títulos públicos de longo prazo apresentam maior rentabilidade

Os títulos públicos federais de longo prazo tiveram as melhores rentabilidades do primeiro semestre. De acordo com o Boletim de Renda Fixa da ANBIMA (Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais), o IMA-B5+, índice que reflete o retorno médio das carteiras de NTN-Bs acima de cinco anos, teve valorização de 21,12% entre janeiro e junho. O resultado é o maior para o período desde 2007.

Expectativa de nova redução da Selic impacta rentabilidade dos títulos públicos

As rentabilidades dos títulos públicos federais foram impactadas em maio pelas apostas do mercado de uma nova redução da taxa Selic. De acordo com o Boletim de Renda Fixa da ANBIMA (Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais), o IMA-Geral, índice que reflete o retorno médio desses papéis, teve valorização de 1,84% no mês e de 5,78% no acumulado do ano.

Assinar este feed RSS