Fundos de investimento têm recorde e captação líquida de R$ 130,8 bi no 1S

Após bater o recorde de R$ 5 trilhões sob gestão em junho, a indústria brasileira de fundos de investimento encerrou o primeiro semestre do ano com captação líquida de R$ 130,8 bilhões. De acordo com a ANBIMA (Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais), o resultado representa avanço de 186,5% em relação ao mesmo intervalo de 2018, quando os ingressos líquidos chegaram a R$ 45,6 bilhões.

Indústria de fundos alcança R$ 5 trilhões de patrimônio líquido

O patrimônio líquido da indústria de fundos chegou a R$ 5 trilhões nesta terça-feira, 18. A marca histórica representa 74% do PIB (Produto Interno Bruno) brasileiro (considerando o fechamento do PIB em 2018). Ao todo, são mais de 16,4 milhões de contas ativas. A captação acumulada no ano foi de R$ 156,2 bilhões. De acordo com ranking mundial da IIFA (Associação Internacional de Fundos de Investimento), o Brasil ocupa o 10º lugar entre as maiores indústrias de fundos do globo.

 

ANBIMA reduz estimativa para a Selic para 5,75%

O Comitê de Acompanhamento Macroeconômico da ANBIMA (Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais) revisou, pela primeira vez neste ano, a projeção para a Selic. Nas últimas reuniões (em fevereiro, março e maio), a indicação era de que os juros encerrassem 2019 em 6,5%. Desta vez, as estimativas caíram para 5,75%: a trajetória teria início em setembro, com corte de 6,5% para 6%, com nova queda em outubro, para 5,75%, e estabilização até o fim do ano. Para 2020, a mediana dos juros também foi reduzida de 7% para 6,5%.

Fundos de investimento apresentam captação líquida de R$ 44,9 bilhões em maio

Após registrarem resgates líquidos de R$ 15,3 bilhões em abril, os fundos de investimento apresentaram captação líquida positiva de R$ 44,9 bilhões em maio. De acordo com dados da ANBIMA (Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais), a indústria de fundos já acumula ingressos líquidos de R$ 86,5 bilhões neste ano, com avanço de 29,4% em relação aos primeiros cinco meses de 2018.

Fundos de investimento acumulam captação líquida de R$ 31,8 bi até abril

Os fundos de investimento acumulam captação líquida de R$ 31,8 bilhões entre janeiro e abril deste ano, pouco menos da metade do total atingido no mesmo período de 2018 (quando chegou a R$ 64,9 bilhões). Segundo o boletim da ANBIMA (Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais), o mês de abril foi marcado por resgates líquidos de R$ 20,1 bilhões, contra captação positiva de R$ 6,5 bilhões em abril do ano passado. Mesmo com as quedas, o patrimônio líquido total da indústria de fundos segue em alta, chegando a R$ 4,8 trilhões.

Incertezas sobre reforma da previdência provocam volatilidade no mercado

As dúvidas com relação à proposta da reforma previdenciária encaminhada ao Congresso e as correções para baixo das expectativas de crescimento da economia para 2019 colaboraram para um ambiente de maior volatilidade em fevereiro, segundo dados da ANBIMA (Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais).

Mercado de capitais movimenta R$ 8,8 bilhões em fevereiro

As empresas brasileiras movimentaram R$ 8,8 bilhões no mercado de capitais em fevereiro, montante inferior aos R$ 9,4 bilhões registrados no ano anterior. De acordo com dados da ANBIMA (Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais), são R$ 23,4 bilhões no acumulado de 2019 frente a R$ 18,8 bilhões no primeiro bimestre de 2018.

Assinar este feed RSS