Sobem as rentabilidades dos títulos públicos

A redução da Selic para 5,5%, anunciada ontem à noite pelo Copom (Comitê de Política Monetária, do Banco Central), e as expectativas do mercado de que os juros encerrem o ano ainda mais baixos, refletem hoje nas rentabilidades dos títulos públicos, sobretudo nos de longo prazo. 

Títulos públicos de longo prazo apresentam maior rentabilidade

Os títulos públicos federais de longo prazo tiveram as melhores rentabilidades do primeiro semestre. De acordo com o Boletim de Renda Fixa da ANBIMA (Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais), o IMA-B5+, índice que reflete o retorno médio das carteiras de NTN-Bs acima de cinco anos, teve valorização de 21,12% entre janeiro e junho. O resultado é o maior para o período desde 2007.

Expectativa de nova redução da Selic impacta rentabilidade dos títulos públicos

As rentabilidades dos títulos públicos federais foram impactadas em maio pelas apostas do mercado de uma nova redução da taxa Selic. De acordo com o Boletim de Renda Fixa da ANBIMA (Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais), o IMA-Geral, índice que reflete o retorno médio desses papéis, teve valorização de 1,84% no mês e de 5,78% no acumulado do ano.

Multimercados podem trazer mais rentabilidade

Em momentos de juros baixos no país, alguns investidores ficam indecisos sobre onde aplicar o capital. Desde o começo do ano, o Banco Central vem cortando os juros como não era visto há oito anos atrás. Na última reunião, a Selic chegou a 9,45% com alguns investidores analisando até dezembro ter o patamar de 8% ou 7,5%. Vendo isso como oportunidade, os fundos multimercados também conhecidos pela sigla FIMs, pode ser uma ótima aplicação em tempos de juros menores, pela sua característica de poder investir em vários ativos e obter a melhor rentabilidade deles. "Os multimercados dá liberdade de investir em várias frentes e obter a melhor rentabilidade destes ativos. São os mais amplos, isolando apenas os fundos, nesta parte de investimentos e além disso existem níveis de volatividade. A "low vol", que seria a baixa volatividade, são ideais para o momento dos juros hoje", afirma o Economista e Diretor de financiamentos da Gradual Investimento, Pedro Afonso Coelho. A "low vol" citada por Pedro, significa sua baixa volatividade, dando uma segurança ao investidor para não correr grandes riscos. "Como o mercado financeiro costuma avaliar seus ativos quanto ao seu nível de risco, que seria a volatilidade, informalmente no multimercados, houve uma classificação como: “low vol” de baixa volatividade, “mid vol” que seria de média volatilidade ou “high vol” com uma alta volatilidade", diz Coelho.

Unidades de menor metragem são mais rentáveis

Levantamento realizado pela Vitacon em parceria com o DataZap identificou que quanto menor a unidade, maior é o valor da locação. A estimativa tomou como base um estudo que tomou os aluguéis cobrados e estimados em São Paulo, especificamente na região dos Jardins, Vila Olímpia e Itaim. A pesquisa revelou que, enquanto uma unidade 14m² teria uma média de locação estimada em R$ 183 o metro quadrado, a de uma unidade de 36m² custaria R$ 85 o metro quadrado.

  • Publicado em Imóveis

Crise e baixa rentabilidade impulsionam queda da poupança

Historicamente as aplicações em poupança são as mais populares do Brasil. Isso se deve, em grande parte, à facilidade e à segurança que o investimento oferece. A caderneta pode ser acessada facilmente por quem tem uma conta em banco e é segurada pelo Fundo Garantidor de Crédito (FGC). Desse modo, investimentos de até R$250 mil por CPF e instituição financeira são garantidos pelo órgão, mesmo em caso de falência de uma instituição financeira.

Conheça franquias com rentabilidade superior a 20%

Nas fichas técnicas de franquia os faturamentos sempre estão em destaque, são altos e chamam mesmo atenção dos futuros empresários. Porém o que sobra realmente no bolso do franqueado todos os meses? A rentabilidade é o quanto o franqueado efetivamente lucra no mês depois que os custos da unidade estão pagos e muitas vezes estão longe, muito longe do valor do faturamento.

Assinar este feed RSS