15ª Rodada da ANP tem recorde

  •  
15ª Rodada da ANP tem recorde (Foto: Divulgação) 15ª Rodada da ANP tem recorde

A 15ª Rodada de Licitações arrecadou mais de R$ 8 bilhões em bônus de assinatura, configurando recorde de arrecadação entre as rodadas no regime de concessão. A rodada irá gerar investimentos de, pelo menos, R$ 1,2 bilhão apenas na primeira fase dos contratos de concessão (fase de exploração). 

Foram arrematados 22 blocos marítimos dos 47 ofertados, com ágio de 621,91%. A rodada também teve o bloco com maior bônus de assinatura oferecido na história, o bloco marítimo SC-AP5, na Bacia de Campos, que arrecadou R$ 2,82 bilhões. Já o maior ágio foi o do bloco C-M-657, na Bacia de Campos, de 1.314%. Não houve ofertas para os blocos terrestres oferecidos. 

“O leilão superou todas as expectativas. Tivemos diversidade de operadores, diversidade geográfica e bônus extraordinários”, destacou o diretor-geral da ANP, Décio Oddone. 

O diretor ressaltou ainda o desempenho de algumas das bacias. “Tivemos o fortalecimento de Sergipe-Alagoas e a retomada da Bacia Potiguar como polo de atração para operadoras. Mas a principal notícia é o ressurgimento da Bacia de Campos, que viveu um processo de interrupção na oferta de áreas. Houve uma retomada na 14ª Rodada, com bônus altos, e agora a confirmação, com todos os blocos arrematados, mostrando que a bacia potencial para ser aproveitado”, afirmou. 

Autoridades e executivos de empresas estiveram presentes da sessão pública, como o ministro-chefe da Secretaria-Geral da Presidência, Wellington Moreira Franco, o secretário de Petróleo, Gás Natural e Combustíveis Renováveis do MME, Márcio Félix, e o diretor-geral da ANP, Décio Oddone e os diretores da Agência Aurélio Amaral, Dirceu Amorelli, Felipe Kury e José Cesário Cecchi. 

Ao todo, 13 empresas, originárias de 11 países, participaram da etapa marítima, sendo que 12 arremataram blocos (duas nacionais e 10 de origem estrangeira). A assinatura dos contratos está prevista para ocorrer até o dia 30 de novembro de 2018. 

A área total arrematada foi de 16.400,30 km². Os blocos marítimos arrematados estão distribuídos em sete setores nas bacias sedimentares oferecidas (Santos, Potiguar, Campos, Ceará e Sergipe-Alagoas).