Alimentos estão mais baratos para a família paulistana, aponta IEA

  •  
Alimentos estão mais baratos para a família paulistana, aponta IEA Foto: Divulgação Alimentos estão mais baratos para a família paulistana, aponta IEA

Pelo terceiro mês consecutivo, o índice Mensal de Variação da Cesta de Mercado Total (IPCMT), calculado pela Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, por meio do Instituto de Economia Agrícola (IEA), aponta queda do gasto familiar com alimentos pelas famílias paulistanas. Em outubro, pela primeira vez no ano, os três índices que acompanham a variação do dispêndio de produtos (vegetal, animal e total) indicaram variação negativa em relação ao mês anterior. Esta é uma boa notícia para as famílias paulistanas, pois indica tendência de queda de preços e, com isso, o desembolso para aquisição de alimentos no município cai.

Tomando-se como base o mês de dezembro de 2015, o cálculo do IEA apontou que os índices de origem vegetal e total que seguiam tendência de crescimento até o mês de julho, a partir de agosto invertem a trajetória; “tal movimento está muito relacionado à estabilização, e até à redução, de preços de produtos importantes para a cesta de mercado dos paulistanos, como feijão e hortaliças”, explica Vagner Azarias Martins, pesquisador da Secretaria de Agricultura que atua no IEA.

Observando o índice de variação de preços da cesta de produtos de origem animal, verifica-se que outubro foi o primeiro mês a apresentar redução do gasto das famílias em 2016. Entretanto, comparado ao índice vegetal, a variação de preços foi inferior ao longo do ano. “Com isso, pode-se inferir que os produtos de origem vegetal, embora estejam no terceiro mês consecutivo de queda de preços, influenciaram mais no aumento do dispêndio familiar em 2016 (janeiro a outubro) comparado aos produtos de origem animal”, esclarece o pesquisador.

Em relação aos grupos de produtos de origem animal, o grupo “carnes” apresentou variação positiva de preços 0,28% no mês. Entretanto, ressalta-se que no ano a variação deste grupo foi de 3% e, em outubro de 2015, foi de 4,37%, valores abaixo dos índices de inflação no período. O grupo “leites e derivados” teve expressiva queda de 5,12%, e o grupo “ovos” redução de 0,89% em relação ao mês de setembro. Com isso, o total dos grupos de origem animal apresentou redução de 1,66% no dispêndio médio familiar.

Os levantamentos de preços realizados pelo IEA abrangem os três níveis de comercialização (produtor, atacado e varejo) e se constituem em importantes instrumentos para compreender o cenário atual da economia nas grandes metrópoles. “A análise da evolução dos preços ao consumidor produzida pelo Instituto, com metodologia especialmente desenvolvida para acompanhar a evolução de gastos com alimentos de uma família paulistana, permite que a Secretaria de Agricultura esteja cada vez mais próxima do seu público. Orientados pelo governador Geraldo Alckmin, oferecemos ao setor produtivo informações estratégicas para otimizar sua atuação”, destacou Arnaldo Jardim, secretário de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo.

(Redação - Agência IN)