Banrisul anuncia lucro de R$1.344 mi em 2019

  •  
Banrisul anuncia lucro de R$1.344 mi em 2019 (Foto:Divulgação) Banrisul anuncia lucro de R$1.344 mi em 2019

O lucro líquido de 2019 do Banco Estado do Rio Grande do Sul alcançou R$1.344,4 milhões, 28,2% ou R$295,8 milhões superior ao lucro de 2018. O lucro líquido da Instituição, em 2019, foi impactado pelos eventos: reestruturação de benefício pós-emprego da Fundação Banrisul de Seguridade Social -FBSS, constituição de provisão trabalhista e reversão de provisão para ações cíveis, face à revisão de parâmetros e andamento de processos, efeitos fiscais sobre a reestruturação de benefício e sobre a provisão trabalhista e cível, e a atualização do estoque de créditos e débitos tributários diferidos decorrente da elevação na alíquota da CSLL de 15% para 20%, em função da promulgação da Emenda Constitucional -EC 103/2019, eventos tratados, para fins de demonstração de resultado, como extraordinários.

O patrimônio líquido atingiu R$7.794,4 milhões em dezembro de 2019. O aumento de R$515,5 milhões ou 7,1% em um ano teve como origem a incorporação dos resultados gerados, pagamentos de juros sobre o capital próprio e provisionamento de dividendos, reclassificação para resultados de exercícios futuros, o remensuramento do passivo atuarial, referente aos benefícios pós-emprego (CPC 33 -R1), e os ajustes de variação cambial sobre o patrimônio de dependências no exterior.

A carteira de crédito, no conceito ampliado, alcançou R$36.425,5 milhões em dezembro de 2019, valor que inclui coobrigação e riscos em garantias prestadas. Excluídas as garantias prestadas, o saldo das operações de crédito totalizou R$36.182,7 milhões em dezembro de 2019, com crescimento de R$2.119,0 milhões ou 6,2% nos doze meses, face, especialmente, à carteira comercial, que registrou saldo de R$27.469,0 milhões, com aumento de R$2.451,0 milhões ou 9,8% em um ano.

Os recursos captados e administrados registraram saldo de R$72.037,5 milhões em dezembro de 2019, com crescimento de R$4.257,1 milhões ou 6,3% em relação ao mesmo mês de 2018, compostos, principalmente, por 56,0% de depósitos a prazo, 13,4% de depósitos de poupança, 4,5% de depósitos à vista, 4,9% de recursos em letras, 3,2% de dívida subordinada e 17,4% de recursos de terceiros administrados.

(Redação – Investimentos e Notícias)