Consumidor muda hábitos de consumo para enfrentar a crise

  •  
Consumidor muda hábitos de consumo para enfrentar a crise Foto: Divulgação Consumidor muda hábitos de consumo para enfrentar a crise

A Netpoints, programa de fidelidade para o varejo que mais cresce no Brasil e presente nacionalmente a partir de 12 redes supermercadistas, verificou uma sensível mudança no impacto de compras em supermercados, que concentram os itens básicos de consumo da população.

A pesquisa mostrou que os consumidores passaram a optar por produtos mais baratos. Na troca de itens em função do valor, as carnes suínas e frios embalados foram os produtos que tiveram maior aumento de consumo em 2015. Leite e demais bebidas, assim como a categoria de produtos de utilidade para o lar, foram as que mais perderam participação nos supermercados pesquisados.

Das 39 categorias dos supermercados analisadas e que representam 85% do faturamento dos estabelecimentos, 18 apresentam queda e apenas 4 grupos não tiveram alteração no período, são eles: café, bomboniere, tabaco e requeijão/manteiga.

Entre as categorias que tiveram aumento de frequência e ticket médio estão: carnes suínas, raízes e tubérculos, papel descartável, condimentos, caldos, limpeza e pratos prontos.

Para demonstrar a mudança de comportamento do consumidor, verificamos aumento de consumo de 50% na categoria carnes suínas e 36% na categoria de frios. Refrigerantes (-9%), demais bebidas como cervejas (-13%), sucos, isotônicos e chás (-10%) perderam participação nas compras dos clientes.

A frequência de compra de carne suína em 2015 aumentou 23% assim como frios embalados que tiveram um aumento de 35%. O ticket médio com carne suína também teve destaque positivo com aumento de 3%. Por outro lado, foi identificado queda no ticket médio nas categorias aves (-2%) e carnes bovinas (-7%).

As categorias hortifrúti/verduras e raízes/tubérculos tiveram aumento de participação de 15% e 14% respectivamente, enquanto os legumes tiveram redução de 5%. Notou-se ainda uma variação na seção padaria, a venda de pães industrializados cresceu 7% já a panificação própria do supermercado recuou 6%.

"As alterações são reflexos da situação econômica. Vemos o cliente fazendo opções na mesma categoria por produtos mais baratos e escolhas que indicam que está optando por comer cada vez mais em casa. O crescimento de categorias como frios e pães industrializados demonstra uma substituição do jantar por um lanche, mais em conta, por exemplo", comenta Carlos Formigari, presidente da Netpoints.

(Redação - Agência IN)