EBITDA da A.P. Moller – Maersk tem aumento de 14%

  •  
EBITDA da A.P. Moller – Maersk tem aumento de 14% Foto: Divulgação

A A.P. Moller - A Maersk anunciou seus dados do terceiro trimestre de 2019, acumulando a maior lucratividade em todo o negócio. Segundo a empresa, o EBITDA teve aumento de 14%, para US$ 1,7 bilhão, o que reflete o crescimento na margem EBITDA para 16,5%.

Ainda de acordo com a companhia, a receita apresentou leve queda de 0,9%, para US$ 10,1 bilhões, enquanto o fluxo de caixa operacional aumentou 25%, para US$ 1,7 bilhão, com taxa de conversão de caixa de 105%.

Já o fluxo de caixa livre, antes do pagamento de arrendamento capitalizado, registrou US$ 1,5 bilhão.

“Já era esperado que a demanda global de contêineres seria menor no terceiro trimestre, devido ao crescimento mais fraco da economia global, no entanto, a A.P. Moller - Maersk continuou a melhorar os resultados operacionais. Entregamos um forte fluxo de caixa livre e um retorno sobre o capital investido de 6,4%, como resultado do forte desempenho operacional em serviços marítimos, margens mais altas em terminais e sólido progresso de ganhos em logística e serviços”, diz Søren Skou, CEO da A.P. Moller - Maersk,

De acordo com a empresa, o EBITDA do segmento Marítimo melhorou 13%, para US$ 1,3 bilhão, e a margem EBITDA aumentou para 17,4%. A receita foi de US$ 7,3 bilhões, comparável ao terceiro trimestre do ano passado.

Enquanto isso, o segmento de Terminais e Rebocagem reportou aumento no EBITDA para US $ 313 milhões e receita de 5,8%, para US$ 986 milhões no mesmo período.

Nos terminais de gateway, o aumento no EBITDA foi de 33%, para US$ 261 milhões e margem de 31,7%, ambos impulsionados por um avanço de volume de 9,2%.

O segmento Logística e Serviços, por sua vez, registrou lucro bruto de 13%, para US$ 336 milhões, após o aumento das atividades em intermodal. A melhoria do lucro bruto levou a expansão no EBITDA de 34%, para US$ 94 milhões, margem EBITDA de 5,8% e taxa de conversão EBIT de 17,5%.

A dívida líquida com juros caiu para US$ 12,1 bilhões no final do terceiro trimestre (US$ 12,9 bilhões no final do segundo trimestre de 2019) após a recompra de ações de US$ 363 milhões - programa anunciado em maio de 2019.

Observando as métricas do desenvolvimento da transformação neste trimestre, a Maersk registra um retorno em dinheiro sobre a melhoria do capital investido (CROIC) de 13,4% no terceiro trimestre, ante 9,0% no mesmo período do ano passado.

A melhoria da lucratividade levou ao aumento no retorno sobre o capital investido (ROIC) para 6,4%, ante 0,2% negativo no mesmo trimestre do ano passado.

A A.P.Moller - Maersk afirmou que espera o EBITDA para 2019 na faixa de US$ 5,4 a 5,8 bilhões, ante a faixa de US$ 5 bilhões comunicada anteriormente.

Foram mantidas orientações sobre investimentos brutos de capital (CAPEX) de cerca de US$ 2,2 bilhões e uma alta conversão de caixa (fluxo de caixa das operações em comparação com o EBITDA). O CAPEX para 2020-2021 acumulado nos dois anos deverá ser de US$ 3-4 bilhões.

(Redação - Investimentos e Notícias)