Embraer apresenta prejuízo líquido de R$ 314,4 mi no 3T19

  •  
Embraer apresenta prejuízo líquido de R$ 314,4 mi no 3T19 (Foto: Pexels) Embraer apresenta prejuízo líquido de R$ 314,4 mi no 3T19

No terceiro trimestre de 2019 (3T19), a Embraer entregou 17 aeronaves comerciais e 27 executivas (15 jatos leves e 12 grandes) comparado aos 15 jatos comerciais e 24 executivos (17 leves e sete grandes) entregues no 3T18.

A carteira de pedidos firmes da Companhia atingiu US$ 16,2 bilhões no final do 3T19.

No 3T19, o EBIT e EBITDA foram de R$ 80,4 milhões e R$ 75,0 milhões, respectivamente, levando a uma margem de -1,7%% e 1,6%.

O resultado do trimestre foi impactado pelos custos de separação do negócio de Aviação Comercial da Companhia que foi de R$ 138,1 milhões. Nos primeiros nove meses de 2019 (9M19), o EBIT e o EBITDA foram de R$ 33,0 milhões e R$ 454,9 milhões, com margens de -0,2% e 3,4%, respectivamente. No mesmo período, os custos de separação foram de R$ 253,5 milhões.

No 3T19, a Embraer apresentou Prejuízo líquido de R$ 314,4 milhões e Prejuízo por ação de R$ 0,43. O Prejuízo líquido ajustado (excluindo-se impostos diferidos e itens especiais) foi de R$ 191,7 milhões e o Prejuízo por ação ajustado ficou em R$ 1,04. No 3T18, a Embraer reportou um Prejuízo líquido ajustado de R$ 73,8 milhões e um Prejuízo por ação ajustado de R$ 0,40.

No 3T19, a Embraer reportou um Uso livre de caixa de R$ 984,4 milhões, comparado a um Uso livre de caixa de R$ 655,5 milhões no 3T18.

Dado o novo cronograma de fechamento da parceria estratégica entre Embraer e Boeing, agora prevista para ocorrer no início de 2020 (sujeito à aprovação das autoridades antitruste e à satisfação de outras condições habituais), a Embraer atualiza suas projeções para 2019 e 2020.

Para 2019, a Companhia reafirma a entrega de 85 a 95 jatos comerciais, 90 a 110 jatos executivos, duas aeronaves KC-390 e projeta agora a entrega de cinco aeronaves Super Tucano. A Receita líquida deve se manter entre US$ 5,3 a US$ 5,7 bilhões e a Margem EBIT próxima de zero, enquanto as estimativas relacionadas à conclusão, até o final do ano, da transação com a Boeing foram suprimidas. A Embraer também projeta que em 2019 poderá ter um Uso livre de caixa de US$ 300 a US$ 100 milhões.

Para 2020, a Embraer reafirma a Receita líquida de US$ 2,5 a US$ 2,8 bilhões, Margem EBIT de 2% a 5% e Fluxo de caixa livre próximo de zero. Projeta também um dividendo especial de US$ 1,3 a US$ 1,6 bilhão a ser pago em 2020. 

(Redação – Investimentos e Notícias)