Fras-le anuncia resultados do 3T15 e dos nove meses de 2015

  •  
A receita bruta total atingiu o montante de R$ 321,3 milhões no 3T15 Foto: Divulgação A receita bruta total atingiu o montante de R$ 321,3 milhões no 3T15

Apesar da retração superior a 20% na produção e venda de veículos anunciada pela Anfavea (Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores) no mercado brasileiro no período janeiro a setembro de 2015 sobre igual período de 2014, a Fras-le obteve melhores resultados, mesmo somando quantidade inferior de volumes produzidos e vendidos.

“Mesmo diante de um cenário de crise política e econômica, foi possível obter evolução nas receitas de vendas e nos principais indicadores operacionais, fato que se deve, principalmente, à diversificação de mercados e segmentos em que a Fras-le atua”, analisa o Diretor-superintendente e de Relações com Investidores, Ricardo Reimer. Ele destaca os esforços contínuos na maximização do portfólio através dos conceitos 80x20, ferramenta que auxilia na priorização de projetos e ações para garantir maior retorno, e o field force, que une as sinergias entre consultores técnicos e comerciais das Empresas Randon. A apreciação da moeda norte-americana frente ao real foi outro fator que contribuiu para o melhor desempenho das receitas e dos principais indicadores operacionais, tendo em vista o perfil exportador da Companhia.

A receita bruta total atingiu o montante de R$ 321,3 milhões no 3T15, apresentando uma evolução de 19,9% sobre os R$ 268,0 milhões de receita bruta total do 3T14. Nos 9M15 a receita bruta total atingiu R$ 871,4 milhões, crescendo 11,4% em comparação aos 9M14. Quanto a receita líquida consolidada, que somou R$ 233,4 milhões no 3T15, a evolução foi de 17,3% sobre o 3T14. No acumulado dos 9M15, a receita líquida consolidada atingiu R$ 637,8 milhões, representando um crescimento de 10,3% comparado aos 9M14.

O faturamento em dólar no mercado externo, que são as exportações realizadas pela Fras-le Brasil mais as vendas das unidades controladas no exterior, absorveu alguns fatores pontuais no seu desempenho, entre eles: efeitos remanescentes de alterações realizadas na plataforma logística do mercado norte-americano, que foram necessárias para garantir o atendimento da demanda naquela região, e ainda, o efeito cambial perante a moeda local de alguns países onde a Companhia atua, tornando a competitividade desfavorável frente aos produtores locais em algumas regiões como África, Europa e Oriente Médio. Com isso o faturamento em dólar apresentou redução de 9,5% no 3T15 comparado ao 3T14, somando US$ 37,3 milhões. Já, nos 9M15, este faturamento acumulou o montante de US$ 101,6 milhões, apresentando um declínio de 12,6% em relação aos 9M14. Do total faturado no mercado externo nestes 9M15, US$ 46,5 milhões (após as eliminações das vendas inter-company) são provenientes das unidades controladas.

O lucro bruto consolidado de R$ 71,1 milhões no 3T15 apresentou um excelente desempenho comparado ao 3T14, com crescimento de 38,4%. A margem bruta evoluiu 4,7 pontos percentuais no 3T15 comparada ao 3T14. Nos 9M15, o lucro bruto consolidado foi de R$ 184,7 milhões, evoluindo 19,9% sobre os 9M14, enquanto a margem bruta teve incremento de 2,4 pontos percentuais. Entre os fatores que contribuíram para este desempenho destacam-se: i) Taxas cambiais favoráveis ao perfil exportador da Companhia, onde o volume exportado através do Brasil absorveu um ganho cambial médio de aproximadamente R$ 0,87 por dólar nos 9M15 em relação a igual período de 2014; ii) Ações iniciadas ainda nos primeiros meses de 2015 que continuam contribuindo para o bom desempenho, como o Plano de Competitividade que tem por objetivo aumentar a performance através de práticas internas de redução de custos e despesas; iii) Trabalhos desenvolvidos nas demandas de suprimentos visando compensar impactos inflacionários nos preços das matérias-primas.

O EBITDA consolidado do 3T15 somou R$ 34,8 milhões, evoluindo 23,7% em comparação ao 3T14. Nos 9M15, o EBITDA acumulou R$ 95,1 milhões, apresentando uma evolução de 21,2% sobre os 9M14. A margem EBITDA, encerrou tanto o 3T15 como os 9M15, ficou em 14,9%. O Lucro líquido consolidado do 3T15 também mostrou performance ascendente em seu desempenho, somando R$ 16,6 milhões, representando uma evolução de 32,4% comparada ao 3T14. Nos 9M15, o lucro líquido consolidado totalizou R$ 44,6 milhões, evoluindo 29,0% em relação aos 9M14.

Expectativas - Apesar das incertezas na economia nacional, a Companhia prevê para o último trimestre de 2015 a manutenção dos resultados obtidos até o momento, apoiado pelas ações internas, como melhor utilização do parque fabril e do potencial de recursos disponíveis para atender as demandas do mercado, bem como uma melhor administração de seu portfólio de produtos. “Com as unidades no exterior se consolidando nesta estratégia global, a triangulação fabril Brasil, Estados Unidos e China, e também as unidades de distribuição e escritórios regionais intensificando a aproximação com os clientes, aprimorando dessa forma os níveis de relacionamento através da presença global e atuação local, é possível acreditar em uma tendência de avanços contínuos na performance da Companhia”, finaliza o Diretor-superintendente e de Relações com Investidores, Ricardo Reimer.

(Redação - Agência IN)