Fusões e aquisições movimentam 192,4 bilhões de reais em 2018

  •  
Mais de 490 operações revelaram valores que chegaram a R$ 192,4 bilhões Foto: Divulgação Mais de 490 operações revelaram valores que chegaram a R$ 192,4 bilhões

De acordo com os dados publicados no Relatório Trimestral da Transactional Track Record, em parceria com a LexisNexis e TozziniFreire Advogados, as 497 transações registradas no mercado de fusões e aquisições brasileiro em 2018 movimentaram, em volume financeiro, 192,4 bilhões de reais. O total aportado no ano ficou 1,76% abaixo do montante investido em 2017, 195,9 bilhões de reais.



Nesse período, foram anunciadas 1153 operações de compra e venda de participações de empresas no país, o que equivale a uma queda de 2,95% em relação ao mesmo intervalo de 2017, quando foram anotados 1188 negócios.

No último trimestre do ano, foram realizadas 266 transações envolvendo empresas nacionais, número 19,1% inferior às 329 registradas no mesmo intervalo de 2017. Das transações do quarto trimestre de 2018, 113 tiveram seus valores revelados, somando 42,2 bilhões de reais, mais de 25,6% de redução em comparação ao mesmo período do ano anterior.

Seguindo tendência que se repete desde 2014, o segmento Tecnologia foi o que mais atraiu aportes no ano. Foram 54 transações no quarto trimestre, que somadas às registradas no decorrer de 2018, acumularam o total de 231 operações. Em 2018, um salto de 24% nos movimentos no setor em relação ao mesmo intervalo do ano anterior.

O setor Financeiro e Seguros aparece na segunda colocação, com 157 deals, alta de 28% no período, semelhante ao crescimento obtido pelo setor de Saúde, Higiene e Estética, que chegou a 122 transações no ano. 

Operações Cross Border

No âmbito inbound, em que empresas estrangeiras investiram em companhias baseadas no Brasil, foram contabilizadas 288 operações de aquisições de negócios brasileiros de janeiro a dezembro de 2018. Apesar de uma redução de mais de 21,3% no número de companhias norte-americanas investindo no país, os Estados Unidos mantiveram o título de principal investidor estrangeiro no mercado nacional. As empresas norte-americanas realizaram 108 aquisições, com um total acumulado de 30,7 bilhões de reais em investimentos no país. 

Em termos de valores, o Reino Unido aparece na sequência, totalizando mais de 5,9 bilhões de reais investidos, seguido por Japão, com 5,2 bilhões de reais em aportes. Espanha e Canadá investiram, respectivamente, 4,4 e 4,3 bilhões de reais.

As aquisições estrangeiras nos subsetores de Tecnologia e Internet permanecem como as mais atrativas para os investidores internacionais, com crescimento de 25%, para um total de 70 operações.

Já as empresas brasileiras realizaram 44 aquisições no mercado externo, tendo como alvo prioritário a América Latina, onde foram realizadas 23 acordos, que juntos somaram aproximadamente 6 bilhões de reais aportados, e os EUA, onde foi investido mais de 3,7 bilhões de reais em 10 transações.

Private Equity e Venture Capital

Em 2018, a TTR contabilizou 50 operações envolvendo fundos de investimentos de Private Equity e Venture Capital estrangeiros investindo em empresas brasileiras. Esses aportes tiveram forte influência no volume financeiro das operações de capital de risco registradas de janeiro a dezembro do ano que acabou.

Nessa modalidade de investimentos, foram registradas 204 operações no ano, 7% acima do reportado período homólogo do ano anterior. As 128 transações que tiveram seus valores revelados somaram 6,3 bilhões de reais, mais que o dobro do valor transacionado em 2017.

Os fundos de venture capital tiveram como alvos preferidos os segmentos Tecnologia, 109 operações no ano, Financeiro e Seguros, 44, Internet, 36, e Saúde, Higiene e Estética, com 21.

No panorama dos investimentos de Private Equity, 2018 também terminou em alta, apesar de menos expressiva, de 6%, encerrando o ano com total aportado de 22,3 bilhões de reais, em 102 operações.

A tendência de investimentos nos subsetores Saúde, Higiene e Estética e Distribuição e Varejo permaneceu no ano - foram os favoritos dos fundos e registraram respectivo crescimento de 13% e 7%. O setor Financeiro e Seguros também passou a receber mais aportes dos fundos de Private Equity, e cresceu 33% no período.

Mercado de Capitais

O mercado de capitais brasileiro voltou a ter um ano expressivo em termos de volume financeiro, apesar de ter ficado abaixo das expectativas no número de empresas que abriram seu capital. Durante o ano, foram registrados seis IPOs, quase a metade do registrado em 2017. Essas transações movimentaram 19,5 bilhões de reais no ano.

As operações de emissões de ações também ficaram abaixo dos números de 2017, com queda no número de emissões de 22 para 16 transações, que movimentaram 17,6 bilhões de reais.

Transação do trimestre

A transação escolhida pelo TTR como a de destaque do último trimestre de 2018 foi a conclusão da aquisição pelo grupo norte-americano Mohawk Industries de 100% do capital social da brasileira Eliane, que atua no setor de revestimentos cerâmicos, por 937 milhões de reais.

O Grupo Mohawk é uma das maiores empresas do setor cerâmico mundial, com um faturamento bruto de 3,4 bilhões de dólares neste segmento. Com operações na Austrália, Europa, Malásia, México, Nova Zelândia, Rússia e EUA, o grupo marca sua entrada no Brasil com a aquisição da Eliane.

A companhia brasileira contou com a assessoria jurídica do escritório Machado, Meyer, Sendacz e Opice Advogados, enquanto o Grupo Mohawk foi assessorado pelo Demarest Advogados. Mattos Filho, Veiga Filho, Marrey Jr. e Quiroga Advogados e Mundie e Advogados foram assessores das partes vendedoras. A assessoria financeira para a Eliane Revestimentos ficou a cargo do Olimpia Partners.

(Redação - Investimentos e Notícias)