Índice Cielo registra retração de 3,3% no varejo em outubro

  •  
Índice Cielo registra retração de 3,3% no varejo em outubro (Foto: Divulgação) Índice Cielo registra retração de 3,3% no varejo em outubro

A receita de vendas do comércio varejista ampliado teve uma retração de 3,3% em outubro em relação ao mesmo período do ano passado, depois de descontada a inflação que incide sobre o setor varejista. É o que aponta o Índice Cielo do Varejo Ampliado (ICVA), divulgado na segunda-feira (16). Em setembro, o índice havia registrado retração de 3,4%, também em relação ao mesmo mês de 2014 e com o desconto da inflação.

Esse é o terceiro mês consecutivo que o desempenho do varejo brasileiro apresenta retração. Diferentemente de agosto e setembro, quando os efeitos de calendário impactaram negativamente o ICVA, em outubro o impacto foi positivo: a troca de dias da semana – uma quarta-feira a menos e um sábado a mais – beneficiou as vendas e acabou superando o impacto do feriado de 12 de outubro, que ocorreu em uma segunda-feira.

Pelo ICVA deflacionado ajustado, que desconta os efeitos de calendário, além da inflação, o mês apresentou uma retração de 3,8%. Estes dados indicam, portanto, nova desaceleração do varejo ampliado em relação a setembro, quando o indicador apresentou retração de 3,0% nesse mesmo conceito.

Os números nominais, sem o desconto da inflação, ainda indicam um quadro mais estável. O ICVA nominal registrou crescimento de 3,9% em relação a outubro de 2014. Em setembro, o crescimento foi de 3,2%, na mesma base de comparação. Com o ajuste de calendário, o ICVA nominal computou alta de 3,5% no mês – contra 3,6% em setembro.

A semana que antecedeu 12 de outubro, dia das crianças, cresceu abaixo da média do ICVA do mês como um todo, o que acabou contribuindo negativamente para o resultado do mês.

O Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), divulgado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), registrou alta de 9,9% em outubro no acumulado dos últimos 12 meses. O número indica uma aceleração sobre os 9,5% registrados em setembro, no mesmo conceito.

Vale lembrar que a cesta de compras no varejo ampliado não inclui itens como energia elétrica, aluguel e condomínio, que são contemplados no IPCA e têm apresentado inflação acima da média dos demais itens. Assim, a inflação no varejo ampliado ficou em 7,5% no acumulado dos últimos 12 meses, também apresentando aceleração em relação aos 6,9% registrados em setembro.

Considerando os grandes blocos de setores que compõem o varejo ampliado, todos tiveram retração nas vendas em outubro na evolução anual.

Dentro do conjunto de setores que comercializam bens semiduráveis e duráveis, Materiais para Construção, Vestuário, Móveis, Eletro e Lojas de Departamento registraram retração nas vendas do mês e puxaram o ICVA para baixo.

Considerando os setores que comercializam bens não duráveis, Drogarias Farmácias – como já registrado, de forma consistente, em meses anteriores do ICVA – puxou novamente as vendas de outubro para cima.
O setor de Postos de Gasolina, impactado pela alta da inflação, ficou entre os setores que mais desaceleraram no mês.

Finalmente, analisando o grupo de setores da cesta de serviços, Turismo e Transporte estiveram entre os que mais cresceram em vendas em outubro. O segmento de Companhias Aéreas foi um destaque, contribuindo positivamente neste bloco.

Em outubro de 2015, todas as regiões brasileiras apresentaram retração no varejo pelo ICVA deflacionado. Assim como em setembro, o Nordeste apresentou a menor retração, de 2,4%, em relação a um ano antes. O Sudeste veio em seguida, com queda de 3,5% na mesma base de comparação. As regiões Centro-Oeste e Norte apresentaram, respectivamente, retração de 3,6% e 4,2% no mês. A região Sul registrou novamente o pior desempenho, com queda de 4,7% na receita deflacionada de vendas em outubro.

Vale reforçar, contudo, que o Sul do país foi o mais impactado pela inflação do varejo ampliado. Observa-se que no ICVA nominal, onde não há o desconto da inflação, a região registrou alta de 3,8%, mesmo percentual do Sudeste. Pelo ICVA nominal, a região Nordeste apresentou alta de 4,2% em outubro, seguida do Centro-Oeste, com crescimento de 4,1%. Já a região Norte, com 3,0% de alta, teve o menor índice em outubro pelo ICVA nominal.

Com exceção de Nordeste e Sudeste, todas as demais regiões apresentaram desaceleração no ritmo de vendas de setembro para outubro deste ano.

(Redação – Agência IN)