Lenovo gera fortes lucros no 3º trimestre fiscal

  •  
Lenovo gera fortes lucros no 3º trimestre fiscal Foto: Divulgação Lenovo gera fortes lucros no 3º trimestre fiscal

O Lenovo Group informou hoje os resultados de seu terceiro trimestre fiscal, encerrado em 31 de dezembro de 2015. A receita trimestral foi de US$ 12,9 bilhões, uma queda de 8% em relação ao ano anterior, ou 2% em relação ao ano anterior sobre uma base de moeda constante. A receita antes dos impostos do terceiro trimestre, excluindo custos não monetários, encargos relacionados a fusões e aquisições de US$ 77 milhões, foi de US$ 397 milhões, enquanto a receita antes de impostos reportada foi de US$ 320 milhões, um aumento de 17%, superando as estimativas dos analistas. A receita líquida foi de US$ 300 milhões, um aumento de 19%, também superando as estimativas de analistas.

As ações decisivas de realinhamento que a Lenovo anunciou em agosto de 2015 estão no caminho certo para alcançar US$ 1,35 bilhão em economias de taxa de extrapolação. Essas economias estão dando à Lenovo uma estrutura de custos que é significativamente mais baixa do que seus colegas. Combinado com sua execução sólida e conduta inovadora, a Lenovo está transformando seu modelo de negócio, processos e organização, posicionando-se para manter um negócio saudável no ambiente atual.

“No último trimestre, embora afetados pela desaceleração macroeconômica global, flutuações da moeda nos principais mercados e declínio do mercado de PC, a Lenovo pôde alcançar um alto recorde de lucro e entregou nosso compromisso de reverter o negócio de dispositivos móveis”, declarou Yuanqing Yang, presidente do conselho e diretor executivo da Lenovo. “No futuro, em PCs, vamos aproveitar a tendência de consolidação, a substituição de PCs comerciais e oportunidades em categorias de produtos inovadores para impulsionar o crescimento. No setor de dispositivos móveis, vamos construir escala e eficiência para acelerar nosso crescimento nos mercados emergentes, avançar em mercados maduros com produtos inovadores e de marcas de primeira linha, e expandir no mercado aberto na China, com um portfólio de produtos mais forte. E, finalmente, na divisão empresarial, vamos alavancar tecnologias líderes e parcerias estratégicas para impulsionar o crescimento rentável.”

O lucro bruto da empresa no segundo trimestre fiscal diminuiu 10% em relação ao ano anterior, para US$ 1,9 bilhão, com margem bruta de 14,6%. O lucro operacional no trimestre foi de US$ 379 milhões. O lucro básico por ação no terceiro trimestre fiscal foi de 2,71 centavos de dólar americano, ou 21,01 centavos de dólar de Hong Kong. As reservas líquidas de caixa em 31 de dezembro de 2015 totalizaram US$ 49 milhões.

(Redação - Agência IN)