LG registra lucro operacional de US$ 420 mi no 1T16

  •  
Estratégia de focar produtos premium gera rentabilidade recorde para a LG nos segmentos de eletrodomésticos e TVs Foto: Divulgação Estratégia de focar produtos premium gera rentabilidade recorde para a LG nos segmentos de eletrodomésticos e TVs

A LG Electronics Inc. (LG) anunciou hoje que o lucro operacional da empresa no primeiro trimestre de 2016 foi de KRW 505,2 bilhões (US$ 420,25 milhões), resultado 65,5% superior ao do mesmo período em 2015, sobre um total de vendas de KRW 13,36 trilhões (US$ 11,12 bilhões).

Responsável pela maior parte desse montante, a LG Home Appliance & Air Solution Company teve um lucro operacional de KRW 407,8 bilhões (US$ 339,23 milhões) no trimestre, enquanto o lucro operacional da LG Home Entertainment Company foi de KRW 335,2 bilhões (US$ 278,84 milhões). Nos dois casos, os resultados representam uma melhora significativa ante os do primeiro trimestre de 2015. A LG Mobile Communications Company teve prejuízo operacional de KRW 202,2 bilhões (US$ 168,20 milhões), resultado que se deve principalmente ao aumento nas despesas de marketing com o novo carro-chefe da LG no segmento de smartphones, o LG G5. Já a LG Vehicle Components Company reportou um prejuízo modesto de KRW 15,8 bilhões (US$ 13,14 milhões), refletindo o aumento nos investimentos em P&D.

A LG espera que suas vendas globais e rentabilidade melhorem no segundo trimestre e prevê crescimento de dois dígitos nas receitas e mais rentabilidade, uma vez que dará continuidade à sua estratégia de focar o segmento premium, apostando nos produtos LG SIGNATURE, no smartphone LG G5 e nas TVs Ultra HD OLED 4K.

A LG Home Appliance & Air Solution Company reportou vendas de KRW 4,22 trilhões (US$ 3,51 bilhões) no primeiro trimestre, um aumento de 4% na comparação ano a ano e que se deve, em grande parte, ao aumento nas vendas de produtos premium e ao crescimento das operações B2B. O lucro operacional e a margem operacional de 9,7% foram os mais altos da história da LG no setor de eletrodomésticos. No mercado doméstico da Coreia do Sul, as receitas subiram 11% na comparação com o mesmo período do ano passado graças ao forte desempenho das lavadoras de roupas TWIN Wash, dos refrigeradores premium e dos condicionares de ar comerciais. A demanda mais fraca causada pela queda nos preços do petróleo e as variações cambiais afetaram negativamente as vendas em mercados como Oriente Médio, América do Sul e CEI, mas as receitas continuaram sólidas na América do Norte e na Europa.

A LG Mobile Communications Company reportou vendas de KRW 2,96 trilhões (US$ 2,46 bilhões), queda de 15,5% em relação ao primeiro trimestre do ano passado. As remessas de smartphones totalizaram 13,5 milhões de unidades, queda de 12% na comparação ano a ano e trimestre a trimestre. Esse resultado se deve principalmente ao início do período de baixa nesse mercado, bem como à queda nas vendas dos carros-chefes existentes por conta do alto interesse no recém-anunciado LG G5. A concorrência continuará aumentando no mercado de smartphones, aumentando com isso a erosão dos preços. A LG pretende combater esse cenário com um forte esforço global em torno do smartphone “modular” LG G5 e dos novos modelos voltados ao mercado de massa, como a família X.

A LG Home Entertainment Company reportou receita de KRW 4,33 trilhões (US$ 3,6 bilhões), um resultado 2,3% inferior ao do primeiro trimestre do ano passado e que se deve a uma pequena queda nas vendas de TVs na América do Norte e na Europa, dois mercados estratégicos. A empresa registrou uma margem operacional sólida, 7,7%, e seu lucro operacional subiu 207% na comparação trimestre a trimestre, fato que deixa bem evidente o crescimento da demanda de TVs OLED e TVs OLED 4K. A expectativa é que a melhora na estrutura e na competitividade dos custos impulsione o ganho de rentabilidade no próximo trimestre.

A LG Vehicle Components Company vendeu KRW 592,9 bilhões (US$ 493,2 milhões), alta de 55% na comparação ano a ano. Esse resultado se deve ao crescimento do negócio de infotainment automotivo, ainda que tenha sido negativamente afetado pelo aumento nos investimentos em P&D. A perspectiva para a divisão automotiva da LG é positiva, dado o aumento esperado na demanda por componentes para veículos elétricos e o trabalho da LG para expandir seu alcance global e conquistar novos clientes.

(Redação - Agência IN)